Vladimir Menshov, cineasta russo ganhador de Oscar, morre aos 81 anos de Covid-19


‘Sua morte arranca uma grande parte da nossa cultura comum’, lamentou odiretor Vladimir Khotinenko. Vladimir Menshov, cineasta russo ganhador de Oscar, morre aos 81 anos de Covid-19
Reprodução/Instagram
O diretor de cinema russo Vladimir Menshov, vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro em 1981, morreu de covid-19 nesta segunda-feira (5), aos 81 anos. O anúncio foi feito pelos colegas do cineasta da Escola Estatal de Cinema de Moscou (VGIK).
“Acabo de saber de sua morte”, disse à AFP o diretor Vladimir Khotinenko, presidente do departamento de longa-metragens da VGIK.
“Sabíamos que ele estava com covid-19, mas, em uma forma leve. É absolutamente horrível e inesperado”, acrescentou.
“Sua morte arranca uma grande parte da nossa cultura comum”, lamentou.
Os estúdios Mosfilm de Moscou confirmaram o falecimento.
Initial plugin text
O prefeito de Moscou, Sergei Sobianin, lamentou “uma enorme perda para nosso cinema e nossa cultura”.
O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, disse que o presidente russo, Vladimir Putin “expressa suas mais profundas condolências”.
Nascido em 1939 em Baku, no Azerbaijão soviético, Vladimir Menshov foi ator e depois diretor.
Tornou-se mundialmente conhecido por seu longa “Moscou não acredita em lágrimas”, que lhe rendeu o Oscar de melhor filme estrangeiro em 1981, um dos dois únicos conquistados pela então União Soviética.
Também foi muito querido na Rússia por sua comédia “Love and Pigeons” (“Amor e pombas”, em tradução livre), lançada em 1984 e que continua sendo uma das mais assistidas na televisão russa.
Diretor de uma dúzia de filmes, Menshov também ensinou direção na VGIK.
Vídeos: Personalidades que morreram em 2021