Hyundai chama i30 para recall; airbags podem se abrir com impactos em buracos e valetas


As 112.585 unidades convocadas na campanha são da primeira geração, feitas entre 2007 e 2012. Hyundai i30
Divulgação/Hyundai
A Hyundai anunciou um recall envolvendo 112.585 unidades do i30 de primeira geração, feitos entre 2007 e 2012. Os airbags podem ser acionados em impactos mais fortes em valetas e buracos.
De acordo com a marca, uma calibração ineficiente no software do módulo dos airbags pode causar a abertura dos airbags frontais em impactos na parte inferior do veículo, ou seja, em pancadas em buracos, valetas, lombadas e pisos irregulares.
Por isso, a Hyundai orienta os proprietários a evitarem situações do tipo e procurarem uma concessionária da marca para a correção do problema. O serviço é gratuito e leva aproximadamente 12 minutos. Para mais informações, a marca disponibiliza o telefone 0800 770 3355.
Veja detalhes das unidades envolvidas:
Hyundai i30 passa por recall por defeito nos airbags
G1 Carros
Initial plugin text
Falta de recall já pode aparecer no documento
Falta de recall já pode aparecer no documento do veículo

Please enter banners and links.

Empresa americana vai enviar maconha e café para espaço

Missão acontecerá em março de 2020

Missão acontecerá em março de 2020
Pixabay

O Brasil aprovou recentemente, por meio da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), a venda de produtos à base de cannabis em farmácias.
Enquanto isso, uma empresa norte-americana vai enviar cânhamo (uma variação do cannabis) e café para o espaço. O destino final será a Estação Espacial Internacional (ISS), para realização de um estudo científico.

Cânhamo é uma variação do cannabis tradicional, útil para fabricação têxtil, cinco vezes mais resistente do que o algodão e rica em CBD, uma molécula que possui inúmeras propriedade medicinais (ainda sem comprovação). Esta planta não contém grandes quantidades do THC, substância responsável pelo efeito alucinógeno.

A empresa de biotecnologia Front Range Biosciences está liderando essa iniciativa, em parceria com a startup Space Cells e a Universidade do Colorado. A ideia do estudo é testar se alterações na gravidade irão causar alguma mudança genética nas plantas. Por exemplo, plantações mais resistentes podem prosperar melhor em locais afetados pela mudança climática.

Ao todo serão enviadas mais de 480 tecidos cultivados para o estudo das células das plantas. A missão deve partir para o espaço em março de 2020. A empresa de Elon Musk, SpaceX, vai transportar os produtos durante um voo para recarga de suprimentos da ISS. Depois de um mês no espaço as amostras devem retornar à Terra para observação em laboratórios.

 

 

 

*Estagiário do R7, sob supervisão de Tatiana Chiari*

Please enter banners and links.