Triumph firma parceria com indiana Bajaj para fazer moto de baixa cilindrada


Marcas vão produzir novas plataformas para modelos na faixa de 200 cc a 750 cc de cilindrada. Conceito da Triumph 250 mostrado em 2013 e que não se tornou realidade
Divulgação
A britânica Triumph e a indiana Bajaj anunciaram uma parceria para desenvolver novas motocicletas a longo prazo. O objetivo é criar modelos na faixa de cilindrada de 200 cc a 750 cc para as duas montadoras.
“Além de levar nossa marca a novos territórios cruciais, os produtos que sairão da parceria também ajudarão a atrair um público mais jovem, mas ainda exigente”, disse Nick Bloor, CEO da Triumph Motorcycles.
Em 2013, a Triumph chegou a afirmar a pretensão de fazer uma moto de 250 cc, que, inclusive, viria ao brasil. No ano seguinte, no entanto, o projeto foi suspenso.
Com a nova parceria, a montadora britânica retoma o plano de ter motos de baixa cilindrada. Ainda não há detalhes de como serão estes modelos e nem em quais segmentos atuarão. O antigo projeto da Triumph 250 caminhava para a criação de uma pequena esportiva.

Please enter banners and links.

Renault anuncia ex-Volkswagen como novo diretor-executivo


Italiano Luca De Meo era presidente da Seat, e estava desde 2009 no grupo Volkswagen. Luca De Meo, novo presidente-executivo da Renault
Divulgação
A Renault anunciou nesta terça-feira (28) que o italiano Luca de Meo será o novo diretor-executivo da empresa. Ele assume o cargo, que estava sendo ocupado interinamente por Clotilde Delbos em 1 de julho.
De Meo era, até o início do ano, presidente da Seat, fabricante espanhola que pertence ao Grupo Volkswagen. Sua carreira no grupo alemão teve início em 2009, quando foi contratado para ser diretor de marketing da própria Volkswagen.
Antes disso, passou pela própria Renault, além de Toyota, Fiat e Alfa Romeo. Ele tem 52 anos, e é formado em administração de empresas pela Universidade Comercial Luigi Bocconi, de Milão, na Itália.
Trocas no comando
A Renault tem vivido um período de constantes trocas em seu comando desde a renúncia do executivo brasileiro Carlos Ghosn, há um ano. Ele deixou a presidência da empresa após um escândalo de violações financeiras.
Ainda em janeiro do ano passado, Jean-Dominique Senard foi nomeado presidente do grupo Renault, enquanto Thierry Bolloré foi escolhido diretor-executivo da fabricante francesa, formando uma gestão em dupla.
Em outubro, Bolloré, considerado braço direito de Ghosn, foi demitido. Em seu lugar, assumiu interinamente Clotilde Delbos, então diretora financeira da Renault.

Please enter banners and links.