Gal Costa e Criolo evocam, sem viço, Milton Nascimento em gravação de ‘Paula e Bebeto’


Capa do single ‘Paula e Bebeto’, de Gal Costa e Criolo
Divulgação
Resenha de single
Título: Paula e Bebeto
Artistas: Gal Costa e Criolo
Compositores: Milton Nascimento e Caetano Veloso
Edição: Biscoito Fino
Cotação: * * 1/2
♪ Há seis anos, Gal Costa gravou música de Criolo. Primeira e única parceria do rapper com Milton Nascimento, Dez anjos foi uma das novidades apresentadas pela cantora no álbum Estratosférica (2015).
Por esse motivo, soa simbólica a reaparição de Criolo na discografia de Gal com gravação de música de Milton Nascimento, Paula e Bebeto, primeira parceria de Milton com Caetano Veloso, lançada por Milton no álbum Minas (1975).
O single Paula e Bebeto está sendo lançado nesta sexta-feira, 8 de janeiro, e integra o álbum idealizado por Marcus Preto para celebrar os 75 anos festejados por Gal em 26 de setembro de 2020.
Regravada por Gal no álbum Água viva (1978), Paula e Bebeto se tornou música representativa dos movimentos sociais em favor da liberdade de amar e da diversidade de afetos, por conta dos versos “Qualquer maneira de amor vale à pena / Qualquer maneira de amor valerá”, escritos por Caetano, autor da letra inspirada em casal de namorados de quem Milton era amigo na cidade de Três pontas (MG).
Na atual gravação de Paula e Bebeto, feita por Gal com Criolo e com produção musical de Felipe Pacheco Ventura (autor dos arranjos de cordas da faixa), soa nítida a intenção de celebrar Milton Nascimento com evocações da gravação original da música de 1975.
O coro feito e arranjado por Zé Ibarra – cantor que participa do disco de Gal na releitura de Meu bem, meu mal (Caetano Veloso, 1981) – reforça o eco.
Contudo, alguma coisa ficou fora da ordem. O canto de Criolo está sem viço. Falta uma centelha de brilho ao arranjo da gravação, também formatada com os toques do baixo de Pedro Coelho, dos cellos de Marcus Ribeiro e da bateria e percussão de Gabriel Vaz.
Das oito regravações já apresentadas do álbum provisoriamente intitulado Gal 75, a abordagem de Paula e Bebeto é a mais dispensável, soando trivial, sem a luz própria que pautou os duetos da cantora com Jorge Drexler, Rodrigo Amarante, Tim Bernardes, Zé Ibarra e Zeca Veloso – destaques do álbum que, após as edições das dez faixas em série de cinco pares de singles, será lançado em fevereiro pela gravadora Biscoito Fino em LP e CD.