Do feminejo ao batidão global, G1 Ouviu lista 100 músicas para entender o pop hoje; ouça


Centésimo episódio do podcast explica as principais vertentes das músicas mais tocadas nos últimos anos. Entenda cada uma e veja a lista completa de 100 faixas. O centésimo episódio do podcast G1 Ouviu é para quem quer entender tudo sobre o pop atual. Uma lista de 100 faixas indica artistas e vertentes mais relevantes entre as novidades musicais do Brasil e do mundo.
O podcast estreou em agosto de 2018, e para recapitular este período, lista músicas que se destacaram de lá para cá. Elas são agrupadas em vinte grupos, que ajudam a explicar cada onda.
Clique acima para ouvir o podcast e veja a lista abaixo.
FEMINEJO
O sertanejo feminino já foi um fenômeno. Hoje ele é o novo normal. Se lá em 2016 o feminejo virou moda, agora tem público cativo. Ou rebanho, como a Marília Mendonça chama com carinho seu “fandom”.
Marília Mendonça – Todo mundo vai sofrer
Lauana Prado – Cobaia
Yasmin Santos – Saudade Nível Hard
Maiara & Maraisa – Aí eu bebo
S de Saudade – Luíza & Maurílio
BACHATA SERTANEJA BRASILEIRA
O ritmo caribenho tinha perdido espaço para o reggaeton lá fora, mas ganhou porto seguro no sertanejo brasileiro. Ele combinou com a nova postura dos cantores. Depois de uma fase pegação e da ascensão do feminejo, parece que eles tomaram um susto e viraram românticos arrependidos. O ritmo chorado e envolvente é perfeito para as juras de amor
Gusttavo Lima – Milu
Largado Às Traças – Ao Vivo Zé Neto & Cristiano
Henrique e Juliano – Liberdade Provisória
Guilherme e Benuto – 3 Batidas
Infarto – Diego & Victor Hugo
FUNK ACELERADO
O funk brasileiro teve várias mutações. E as duas crias mais frenéticas se juntaram pra ficarem ainda mais contagiantes. O funk 150 do Rio de Janeiro e o brega-funk de Pernambuco são frutos de dois movimentos culturais ricos e diferentes entre si. Mas ambas são aceleradas, de 150 a 170 batidas por minutos. Elas brilharam sozinhas e unidas, em remixes que tocaram sem parar.
Thiaguinho MT feat Mila e JS O Mão de Ouro – Tudo OK
Pedro Sampaio – Sentadão
Dadá Boladão, Tati Zaqui, OIK – Surtada
Felipe Original, JS e Kevin o Chris – Hit Contagiante
Tu tá na gaiola – Kevin o Chris
BEAT POLITIZADO
O acontecimento cultural mais importante dos últimos anos foi o movimento Black Lives Matter, que cresceu ainda mais nesse ano e virou o maior protesto da história dos Estados Unidos depois do assassinato do George Floyd. A música pop, especialmente o rap, captou esse espírito pelo mundo, antes e depois dos megaprotestos de 2020.
Beyoncé – Black Parade
Run the Jewels – Walking in the snow
Djonga – Ladrão
Kendrick Lamar e The Weeknd – Pray for me (Black Panther)
Orochi – Nova colônia
Orochi
Pedro Darua / Divulgação
FUNK CONSCIENTE
Uma das ondas mais recentes do pop brasileiro desmente o clichê de que o funk atual só tem bunda e sentada. Quem diz isso não sabe como São Paulo está sendo tomada pelo funk consciente. As letras misturam fé em Deus e nas motos, onipresentes na cidade. O Rio não tem uma cena tão organizada, mas também há MCs com discurso menos festivo e mais pé no chão.
Eu Achei – MC Paulin da Capital
To voando alto – Poze do Rodo
Sou Vitorioso – Lipi e Kaxeta
MC Kevin – Vergonha pra mídia
Zona Sul – MC Cabelinho
RAP SUAVE BRASILEIRO
Alguns críticos torcem o nariz, mas não dá para negar que o maior fenômeno do rap brasileiro hoje é a série de vídeos do canal carioca Pineapple Storm em que rappers rimam em cima de bases acústicas. O rap com rima romântica, mais pop mesmo, ainda tem outros nomes cada vez mais populares.
Poesia acústica 6
1Kilo – Deixe-me ir
Hungria Hip Hop – Não troco
Tribo da Periferia – Imprevisível
POP GOOD VIBE
Esse pop tranquilo, com mensagens positivas, tem tocado bem nas rádios e em streaming. São artistas jovens e que parecem ser amigos – de vez em quando postam fotos juntos, fazem parcerias. É música de rodinha de violão, com arranjos não muito elaborados e com letras fáceis.
Melim – Gelo
Vitor Kley e Anavitória – Pupila
Tiago Iorc e Duda Beat – Tangerina
Carol e Vitória – Eu Tô Gostando De Um Menino Aí
Lagum e Ana Gabriela – Deixa
Agnes Nunes e Xamã – Cida
NOVO VELHO PAGODE
O pagode viveu o auge nos anos 90 e começo dos anos 2000, mas depois perdeu espaço entre as músicas mais tocadas. Ultimamente, pagodeiros como Dilsinho e Ferrugem retomam este terreno. Além disso, o período de quarentena foi bom para o gênero, em lives com milhões de views.
Felipe Araújo e Ferrugem – Atrasadinha
Dilsinho – Péssimo Negócio
Ferrugem – Pra você acreditar
Ludmilla – Amor Difícil
POP ROCK DE ESTÁDIO
Música pop tem que falar com multidões, e esses artistas aqui fazem um som sob medida para estádios. Na quarentena, eles vão ficar devendo – em especial o show de Harry Styles adiado no Brasil -, mas este pop rock grandioso e sem grandes inovações também reina em playlists de streaming.
Ed Sheeran e Justin Bieber – I Don’t Care
Imagine Dragons – Believer
Pink – Hurts 2B Human
Harry Styles – Watermelon Sugar
K-POP
Esses não sabem brincar quando o assunto é número. A cada música nova vem um recorde novo, primeiro lugar nos trends topics e uma super movimentação de uma base de fãs poderosa. A música é com arranjos “tudo ao mesmo tempo agora”: rap, r&b, teen-pop, EDM…
BTS – Boy With Luv (feat Halsey)
Blackpink – How You Like That
Twice – More & More
Monsta X- Fantasia
Somi – What You Waiting For
O grupo de k-pop Blackpink
Reprodução/Instagram
LOUVOR POP
A música pop se aproximou do gospel – ou será que foi o outro contrário? Não importa quem foi atrás de quem. O que é notável é a presença do louvor nas playlists laicas – seja Kanye West louvando Jesus ou Priscilla Alcântara louvando em roupagem pop.
Kanye West – Follow God
Priscilla Alcântara – Girassol
Preto No Branco – Meu Lugar é amor
Pabllo Vittar – Rajadão
TIKTOK HITS
Com o aplicativo chinês, os artistas e o público criam desafios de coreografia, de parkur ou de maquiagem com a música escolhida de fundo. Na quarentena, ele se consolidou como uma grande plataforma para revelar novos hits no Brasil e no mundo.
Jason Derulo feat Jawsh 685 – Savage Love
MC Niack – Na Raba Toma Tapão
Lil Nas X – Old Town Road
Roddy Ricch – The box
Lizzo – Thuth Hurts
Tones and I – Dance Monkey
Doja Cat – Say So
POP KIDS
Seguindo em ordem regressiva de idade, está cada vez mais difícil ignorar o que as crianças ouvem. Uma playlist do time sub-12 tem que falar do Now United. O grupo com 15 integrantes representando vários países inclui a paulista Any Gabrielly, de 17 anos. Mas há vários outros ídolos mirins.
Now United – By my side
Camila Cabello e Shawn Mendes – Señorita
Lil Tecca – Ransom
PRETTYMUCH – Phases
Why don’t we – Unbelievable
DIVAS POP
Nossa lista tem tendências que podem ser efêmeras. Mas essa é perene. Hoje ela acompanha uma onda de afirmação e liberdade feminina na cultura. Não é exatamente um estilo musical, já que os sons delas são cada vez mais variados. Em comum, um fascínio renovado pelo poder destas cantoras.
Ariana Grande – Thank you, next
Lana Del Rey – White Mustang
Cardi B – Money
Iza – Brisa
Taylor Swift e Bon Iver – exile
Katy Perry – Swish Swish
Selena Gomez – Look at her now
POP DE QUARTO
Se antes tinha artista que pra fazer um som só precisava de um banquinho e um violão, agora tem gente que só precisa de um pijaminha e um notebook para fazer um som bem pessoal, inovador e meio lo-fi.
Billie Eilish – Bad Guy
Rex Orange County – Always
Clairo – Softly
Matuê
Divulgação/Facebook
TRAP E O RAP EMOTIVO
Desde 2018 o podcast explica que o trap é aquela variação do rap que surgiu no Sul dos Estados Unidos que tem bases mais graves, batidas arrastadas e pratos corridos.
Nessa levada arrastada coube uma interpretação mais emotiva, que gerou outro subgênero – o emo-rap, marcado por tragédia.
E essa linha do rap emotivo tem estrelas ainda maiores. Eles vão além do emo-rap, mas o sentimento é parecido.
Migos – Give no fxk
xxxtentation – sad!
Lil Peep – Save that shit
Drake – Gods plan
Post Malone – Sunflower
Matuê – Kenny G
LGBT POP
O primeiro nome que vem à cabeça nessa vertente, Pabllo Vittar, já foi citado acima, no grupo do louvor pop. Sem problema, já que o momento é fértil para novos artistas queridos pelo público LGBT. O som também tem cada vez menos barreiras, do tom festivo ao triste e intimista.
Gloria Groove – Mil Grau
Aretuza Lovi – I lve you corote
King Princess – Ain’t Forever
Sam Smith e Normami – Dancing with a Stranger
BATIDÃO GLOBAL
São cada vez mais parcerias entre nomes do pop internacional e do pop brasileiro. É o já se chamou nesse podcast de funk global. Ainda não chegou o hit mundial certeiro, mas o funk brasileiro com roupagem gringa está cada vez mais perto de seguir o mesmo caminho de sucesso do reggaeton.
Anitta, Ludmilla, Snoop Dogg – Onda Diferente
Tove Lo e MC Zaac – Are U Gonna Tell her?
Drake e Kevin o Chris – Ela é do tipo
Anitta e Madonna – Faz Gostoso
Lan, Skrillex, Ludmilla, Ty Dollar $ign – Malokera
Papatinho, will.i.am, Kevin O Chris – 5 Estrelas
POP ESCAPISTA DE QUARENTENA
Aqui estão músicas que a gente queria ter dançado em uma boate ou vendo um showzinho. Mas infelizmente elas foram trilhas pra dançar em festa no zoom ou pra sacolejar lavando a louça. Nos tempos do coronavírus, rolaram lançamentos de álbum dançantes, escapistas, super bem produzidos.
Dua Lipa – Levitating
Lady Gaga – Stupid Love
Haim – Don’t Wanna
Charli XCX – Claws
LATINOS ARROJADOS
O pop latino já mostrou que pode ir além do reggaeton e de hits mais caricatos como “Despacito”. Aqui cabem de Rosalía, a espanhola que começou com um flamenco indie pop, a Bad Bunny, o porto-riquenho que mistura qualquer coisa com seu trap latino – até bossa nova.
Rosalia e J Balvin – Con Altura
Bad Bunny, J Balvin e Dua Lipa – Un Día
Ozuna – Caramelo
Karol G, Nicki Minaj – Tusa
Becky G – My Man
Bad Bunny – Si veo a tu mama
Pedro Sampaio, Niack, Any Gabrielly, Dua Lipa, Clairo, Bad Bunny, Marília Mendonça, Gloria Groove, Run The Jewels, Billie Eilish e Lauana Prado estão em top 100 do G1 Ouviu
Divulgação