Disputa por vaga em medicina na Unicamp tem 324 candidatos por vaga; veja cursos mais concorridos


Concorrência fica 5,3% maior na comparação com a edição anterior do vestibular da universidade de Campinas. Ao todo, 63,2 mil candidatos irão disputar 2.540 vagas em 69 cursos de graduação. Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) di9vulga número de inscritos para Vestibular 2022
Rafael Smaira/G1
A concorrência por um lugar em medicina, curso mais disputado da Unicamp, está ainda maior no vestibular 2022. De acordo com a comissão organizadora (Comvest), a relação candidato/vaga é de 324,7 nesta edição, número 5,3% maior que o registrado no ano anterior (308,3).
A Universidade Estadual de Campinas divulgou nesta terça (28) que 63.297 candidatos irão disputar 2.540 vagas em 69 cursos de graduação. Confira, abaixo, quais são os mais concorridos.
Medicina (Integral): 324,7 candidatos por vaga
Arquitetura e Urbanismo (Noturno): 81,1 candidatos por vaga
Música Popular: Voz (integral): 51 candidatos por vaga
Ciência da Computação (Noturno): 48,8 candidatos por vaga
Ciências Biológicas (Integral): 46,8 candidatos por vaga
Engenharia da computação (integral): 41,3 candidatos por vaga
Comunicação Social – Midialogia (Integral): 41,1 candidatos por vaga
Farmácia (integral): 31,5 candidatos por vaga
Enfermagem (Integral): 28,7 candidatos por vaga
Ciências Econômicas (Integral): 26,8 candidatos por vaga
Ciências Econômicas (Noturno): 26 candidatos por vaga
História (Integral): 25,6 candidatos por vaga
Odontologia (Integral): 25,2 candidatos por vaga
Engenharia de Produção (Integral): 22,9 candidatos por vaga
Engenharia Química (Integral): 22,6 candidatos por vaga
Artes Visuais (Integral): 21 candidatos por vaga
Nutrição (Integral): 19,7 candidatos por vaga
Engenharia de Controle e Automação (Noturno): 18,3 candidatos por vaga
Engenharia Civil (Integral): 17,6 candidatos por vaga
Artes Cênicas (Integral): 17,5 candidatos por vaga
Os inscritos
O balanço de inscritos divulgado pela comissão organizadora (Comvest) nesta terça (28) e representa uma queda de 18,48% no número de interessados em relação ao recorde histórico do ano passado, que teve 77.653 cadastros.
O número de estudantes da rede pública de ensino que se inscreveram também caiu. O percentual de 30,5% é o menor desde 2017, quando foram 30,2%. A redução já havia sido percebida pela Unicamp quando houve a prorrogação do prazo de inscrição; cerca de 8 mil concluíram o cadastro em uma semana.
“Apesar da queda no número de candidatos, a Comvest manteve o índice de cerca de um terço de estudantes oriundos de escolas públicas, e o percentual de estudantes autodeclarados pretos e pardos próximo dos 20%”, ressaltou a comissão. Confira o panorama dos últimos anos:
Queda de inscrições
Diretor da Comvest, José Alves de Freitas Neto avalia a redução como parte dos reflexos da pandemia da Covid-19, que geraram crise econômica e um adiamento dos planos dos estudantes.
“Era esperada diante do contexto de desmobilização estudantil e também forte crise econômica que faz com que muitos adiem sua preparação ou mesmo o ingresso em uma universidade pública. A queda de inscritos no Enem e a diminuição de pedidos de isenção de taxas foram outros indícios que apontavam para a queda”, explicou.
No Vestibular 2021, a universidade não realizou seleção via Enem por conta de um conflito de datas, e o total de inscrições superou as expectativas. Para 2022, os cadastros para quem vai tentar vaga pelo Exame Nacional do Ensino Médio poderão ser feitos de 3 a 30 de novembro.
Índices de inclusão social
Além dos alunos que estudaram em escolas da rede pública de ensino, a Unicamp também realiza o levantamento de inscritos no vestibular tradicional para pretos, pardos e indígenas. Além disso, a universidade também realiza o processo seletivo por meio do vestibular exclusivo indígena.
Autodeclarados pretos e pardos foram 19,1% do total; e os que optaram pelas cotas étnico-raciais somam 10,7%. Já em relação aos estudantes que solicitaram isenção da taxa de inscrição, o percentual está entre os maiores dos últimos anos, segundo a universidade, com 11,5% do total, o equivalente a 7.267 pessoas.
O diretor da Comvest aponta que a oscilação frente a anos anteriores está na mesma margem dos demais estudantes.
“Esperamos ter uma boa adesão ao Edital Enem-Unicamp, com inscrições a partir de novembro, para cumprir nossas metas de políticas de ação afirmativa. Teremos condições de selecionar bem os ingressantes de 2022”, afirmou José Alves.
Provas começam em novembro
Primeira fase: 7 de novembro de 2021
Número de questões: 72
Tempo máximo para realização: 4 horas
Segunda fase: 9 e 10 de janeiro de 2022
Provas de habilidades específicas para curso de música: 15 a 24 de setembro de 2021 e 22 a 28 de outubro de 2021
Provas de habilidades específicas para arquitetura e urbanismo, artes cênicas, artes visuais e dança: 13 a 15 de janeiro de 2022
Divulgação da primeira chamada: 14 de fevereiro de 2022
Matrícula online da primeira chamada: 15, 16 e 17 de fevereiro de 2022
A primeira fase será aplicada em 31 cidades do estado de São Paulo: Araçatuba, Barueri, Bauru, Botucatu, Bragança Paulista, Campinas, Franca, Guarulhos, Indaiatuba, Jundiaí, Limeira, Lorena, Marília, Mogi das Cruzes, Mogi Guaçu, Osasco, Piracicaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santa Bárbara D’Oeste, Santo André, Santos, São Bernardo do Campo, São Carlos, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo, Sorocaba, Sumaré e Valinhos.
Fora de SP, recebem as provas do Vestibular Unicamp cinco capitais: Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Fortaleza e Salvador.
O calendário completo pode ser conferido no site da Comvest da Unicamp
“A Comvest reforça que continuará adotando todas as medidas sanitárias no momento de realização das provas, para garantir que todos os protocolos exigidos pelas autoridades de saúde sejam seguidos”, informou a Unicamp.
VÍDEOS: veja o que é destaque na região de Campinas
Veja mais notícias da região no g1 Campinas