Tartaruga Diego salva espécie da extinção e voltará à natureza

<div><img src="https://img.r7.com/images/parque-nacional-galapagos-11012020143329446?dimensions=660×440&no_crop=true"><p>Diego, a tartaruga gigante que viveu nos EUA, retornará ao arquipélago de Galápagos, no Equador. O animal ajudou a salvar sua espécie ao gerar mais de 800 filhos e agora retorna ao seu habitat natural em março deste ano<br></p></div><div><img src="https://img.r7.com/images/parque-nacional-galapagos-11012020143329349?dimensions=660×440&no_crop=true"><p>Seu retorno é fruto do encerramento do programa de reprodução em cativeiro da espécie Chelonoidis hoodensis, uma vez que foi evidenciada a recuperação das condições e da população da ilha<br></p></div><div><img src="https://img.r7.com/images/parque-nacional-galapagos-11012020143329252?dimensions=660×440&no_crop=true"><p>"A ilha reúne condições suficientes para manter a população de tartarugas, que seguem crescendo naturalmente, ainda que sem filhote nascido no local”, afirma o diretor do projeto de recuperação, Washington Tapia&nbsp;<br><br></p></div><div><img src="https://img.r7.com/images/parque-nacional-galapagos-11012020143329033?dimensions=660×440&no_crop=true"><p>A fotografia de 9 de janeiro de 2020, cedida pelo Parque Nacional de Galápagos, mostra técnicos pesando e medindo as tartarugas bebês que eclodiram este ano, na ilha de Santa Cruz, em Galápagos</p></div><div><img src="https://img.r7.com/images/parque-nacional-galapagos-11012020143329143?dimensions=660×440&no_crop=true"><p>O diretor do Parque Nacional de Galápagos explics que, atualmente, a ilha tem apenas 15% do número inicial de tartarugas, estimado em 400 mil.<br><br>Árida, pequena e de fácil acesso, a ilha Espanõla, situada a sudeste do arquipélago, sofreu com muitas invasões de piratas, que quase levaram a espécie à extinção&nbsp;<br><br></p></div><div><img src="https://img.r7.com/images/parque-nacional-galapagos-11012020143328662?dimensions=660×440&no_crop=true"><p>Ainda na ilha, há vários outros animais como iguanas, lobos-marinhos e diversos outros pequenos animais. Porém, a presença das tartaruga é indispensável para a sobrevivência do ecossistema.<br><br>"Com a ausência de tartarugas, as plantas lenhosas progridem e invadem rapidamente, não deixando espaço para a procriação das aves”, afirma o diretor.&nbsp;<br><br>Quinze tartarugas originais foram usadas no projeto de recuperação: doze fêmeas e três machos, entre eles, Diego foi o mais fértil<br><br></p></div><div><img src="https://img.r7.com/images/parque-nacional-galapagos-11012020143328501?dimensions=660×440&no_crop=true"><p>No momento, Diego está em “bom estado de saúde”, afirma Carrion, que reconhece o apoio do macho neste processo, mas ressalta o ponto negativo caso todas as tartarugas fossem sucessoras do mesmo macho:&nbsp;<br><br><br>“Precisamos de outros espécimes além de Diego para que a variabilidade genética das tartarugas da ilha as permita crescerem saudáveis”<br><br><br>Com o retorno da tartaruga, o programa assume que está na hora de deixar a população crescer naturalmente e seja guiada pela própria natureza <br><br></p></div>