Ecad firma primeiro contrato com TikTok para pagamento de direitos autorais sobre músicas no app


Escritório Central de Arrecadação e Distribuição não divulgou porcentagem estabelecida. Média praticada no mercado costuma ser de 12% das receitas geradas por cada plataforma. O Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) e o TikTok fecharam um contrato para o pagamento de direitos autorais sobre músicas tocadas na rede social. O acordo também garante pagamento retroativo.
O Ecad e a empresa não divulgaram a porcentagem estabelecida na negociação. Cada contrato firmado tem condições próprias, mas a média praticada no mercado é que 12% das receitas de cada plataforma sejam destinadas aos direitos autorais.
Desses 12%, 3% são destinados ao Ecad (e distribuído pelos profissionais da música representados pela instituição) e 9% são repassados para divisão entre compositores e editoras musicais (empresas que gerenciam e licenciam repertórios). A porcentagem exata depende do tipo de contrato entre editoras e artistas.
O TikTok tem sido o trampolim de muitas músicas para o topo das paradas nacionais, com desafios de dança e virais.
Além disso, a área de streamings foi uma das poucas que apresentou aumento de faturamento do pagamento de direitos autorais neste ano – quando os compositores amargaram queda de 15% no faturamento em relação ao ano passado.
As porcentagens representam uma média do mercado. Os valores pagos por cada empresa são negociados por contratos individuais. — Foto: Daniel Ivanaskas/G1
Daniel Ivanaskas/G1