Wilbur Smith, escritor sul-africano, morre aos 88 anos


Romances do autor narram aventuras no continente africano, com histórias muitas vezes inspiradas em sua própria vida. Wilbur Smith durante Festival de Literatura de Dubai, em fevereiro de 2009
HAIDER SHAH / AFP
O aclamado romancista sul-africano Wilbur Smith morreu em seu país aos 88 anos, anunciou seu editor neste sábado (13).
“O autor de best-sellers mundiais Wilbur Smith faleceu inesperadamente esta tarde em sua casa na Cidade do Cabo, após uma manhã lendo e escrevendo com sua esposa Niso”, informou um comunicado publicado no site Wilbur Smith Books.
Seus volumosos romances narram aventuras no continente africano, com histórias muitas vezes inspiradas em sua própria vida.
Smith ficou conhecido com a publicação em 1964 de seu primeiro romance, “Quando os leões comem”, a história de um jovem que cresceu em uma fazenda de gado na África do Sul que teve 15 sequências, nas quais o autor conta a vida de uma família durante mais 200 anos.
Ele chegou a publicar 49 romances editados em todo o mundo.
“Nas histórias teci peças do início da história da África. Escrevi sobre negros e brancos, escrevi sobre caça e mineração de ouro e farras e mulheres”, lembrou em sua biografia publicada em seu site.
“Autor incontestável e inimitável de aventuras, os romances de Wilbur Smith conquistaram leitores por mais de meio século, vendendo mais de 140 milhões de cópias em mais de 30 idiomas em todo o mundo”, diz o comunicado.
“Nos 49 romances que Smith publicou, ele transportou seus leitores para as minas de ouro na África do Sul, pirataria no Oceano Índico, tesouros escondidos em ilhas tropicais, conflitos na Arábia e Cartum e no antigo Egito (…) encontrando diamantes implacáveis e comerciantes de escravos e caçadores nas selvas africanas”, acrescenta.
Seu escritório tuitou um agradecimento aos “milhões de fãs ao redor do mundo que apreciaram sua escrita incrível e se juntaram a nós em suas aventuras surpreendentes.”
Vídeos: Personalidades que morreram em 2012: