VÍDEO: Fumaça de queimadas encobre Porto Velho


Região comercial e histórica foi ‘dominada’ por uma nuvem densa e amarelada de fumaça nesta terça-feira (24). Capital é a que mais tem focos de calor, segundo Inpe. Nuvem de fumaça encobre Porto Velho
A cidade de Porto Velho, cercada por centenas de queimadas, está encoberta por fumaça nesta terça-feira (24).
Imagens capturadas pela Rede Amazônica (por volta de 8h local) mostram que a região comercial e histórica foi ‘dominada’ por uma nuvem densa e amarelada de fumaça.
Capital de Rondônia: Porto Velho amanhece encoberta por fumaça
TV Globo/Reprodução
Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostram que, em Rondônia, a capital lidera a lista das cidades com mais focos de queimadas.
São 210 focos registrados apenas em Porto Velho desde o domingo (22), o que corresponde a mais de 40% dos registros de queimadas no estado.
Desde a segunda-feira (23), segundo indica o Inpe, Porto Velho é a cidade do país com mais incêndios.
Abaixo, veja o ranking das 5 cidades com mais focos nesta semana:
Porto Velho: 186
Porto Murtinho (MS): 176
Nova Aripuanã (AM): 121
Apuí (AM): 110
Corumbá (MS): 107
Porto Velho lidera as cidades com mais registros de fumaça
Desde o começo de agosto já são 1.429 focos de calor em Porto Velho.
LEIA TAMBÉM:
Estudo aponta que queimadas aumentam risco de internação por problemas respiratóriosFocos de incêndio neste ano superam mesmo período de 2020 em 3 biomas
Entenda como o Inpe monitora as queimadas no Brasil
Fumaça de queimada em Porto Velho nesta terça-feira (24)
Rede Amazônica
Verão amazônico
Segundo o meteorologista Marcelo Gama, Rondônia passa atualmente pelo período conhecido como “verão amazônico”, onde os termômetros registram o aumento da temperatura e o clima fica mais seco.
“Rondônia está passando pelo período do verão amazônico, que em média ocorre entre junho e agosto. Neste período do ano as precipitações são bastante reduzidas e geralmente ocorre de forma pontual”, explicou.
De acordo com o Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), a previsão é de que, a partir da 2ª quinzena de setembro, as chuvas voltem com mais regularidade em todo o estado.
O Sipam aponta que, em média, algumas regiões de Rondônia estão há mais de 40 dias sem chuvas.
Capital de Rondônia tem terça-feira (24) encoberta de fumaça
Rede Amazônica