Vendas do Tesouro Direto dobram e somam R$ 10 bilhões nos quatro primeiros meses de 2019

De janeiro a abril, vendas de títulos públicos para investidores pessoas físicas bateu recorde para o período. Número total de investidores cadastrados atingiu marca de 4 milhões de pessoas. O governo federal informou nesta segunda-feira (27) que a venda de títulos públicos pelo Tesouro Direto bateu recorde ao somar R$ 10,190 bilhões nos quatro primeiros meses deste ano.
No mesmo período do ano passado, ainda segundo informações do Tesouro Nacional, as vendas haviam somado R$ 5,076 bilhões.
O Tesouro Direto foi criado em janeiro de 2002 e permite a pessoas físicas a compra de títulos públicos pela internet, por meio de bancos e corretoras.
No começo deste ano, a taxa de custódia do Tesouro Direto, cobrada pela bolsa de valores B3, passou para 0,25%, contra os 0,3% para 0,25% vigentes anteriormente.
Investidores também vendem títulos
Ao mesmo tempo, os investidores resolveram revender antecipadamente (antes do vencimento) para o Tesouro Nacional R$ 5,726 bilhões em títulos públicos de janeiro a abril deste ano – que resgatou esses títulos públicos.
Quando há tensão nos mercados, como ocorreu nas eleições no ano passado, os juros pagos pelo governo brasileiro sobem nos papeis prefixados. Desse modo, os compradores contam com uma remuneração melhor no momento em que as taxas recuam – como aconteceu nos primeiros meses deste ano – e conseguem lucro ao revendê-los para o Tesouro Nacional.
Considerando o volume das emissões e dos resgates, nos quatro primeiros meses deste ano, de acordo com o Tesouro Nacional, houve uma emissão líquida, ou seja, colocação de títulos públicos no mercado acima do volume de resgates, de R$ 3,194 bilhões.
Com a emissão líquida de títulos do Tesouro Direto de janeiro a abril, o saldo total (estoque) de títulos em mercado alcançou o montante de R$ 59,299 bilhões em abril, uma alta de 9,34% em relação a dezembro de 2018 (R$ 54,233 bilhões).
4 milhões de investidores
De acordo com o Tesouro Nacional, 893.521 novos investidores se cadastraram no programa nos quatro primeiros meses deste ano.
Além da redução da taxa de custódia em janeiro deste ano, o Tesouro Nacional avaliou, recentemente, que um “forte movimento das próprias instituições financeiras” para vender mais o produto (Tesouro Direto) contribuiu para o aumento do número de investidores.
Com o movimento do mês passado, o número total de investidores cadastrados ao fim do mês atingiu 4.006.824, o que representa aumento de 88,3% nos últimos 12 meses.
O número de investidores “ativos”, por sua vez, chegou a 1.006.547 em abril deste ano, uma variação de 67,6% nos últimos doze meses.