Vendas de iPhone da Apple na China crescem 18% em dezembro

<div class="media_box full-dimensions660x360">

<div class="edges">
<img class="croppable" src="https://img.r7.com/images/vendas-de-iphone-crescem-na-china-09012020105312006?dimensions=660×360" title="A Apple sofre grande concorrência no mercado asiático de smartphones " alt="A Apple sofre grande concorrência no mercado asiático de smartphones " />
<div class="gallery_link">
</div>

</div>
<div class="content_image">
<span class="legend_box ">A Apple sofre grande concorrência no mercado asiático de smartphones </span>
<span class="credit_box ">Mike Segar/Reuters – 16.10.2019</span>
</div>
</div>

<p>
Segundo dados do governo chinês, nesta quinta-feira (8), as vendas do iPhone da Apple no pais aumentaram mais de 18% em dezembro do ano passado.</p>
<p>
Uma das causas seria o Ano Novo Lunar, no final de janeiro, um feriado importante para o país e, assim como o natal, marcado pelo costume de presentear. </p>
<p>
A Apple vendeu cerca de 3,2 milhões de telefones na China em dezembro, mostraram dados da Academia de Tecnologia da Informação e Comunicações da China e cálculos da Reuters, número superior aos 2,7 milhões do ano anterior.</p>
<p>
Após um período de pico em 2015, as vendas do iPhone na China estagnaram devido a fatores como ciclos de atualização mais longos e concorrência de rivais chineses.</p>
<p>
As vendas de telefones da chinesa Huawei Technologies cresceram enquanto no exterior a empresa enfrentava pressão política de Washington por causa de sua tecnologia.</p>
<p>
No terceiro trimestre de 2019, a Huawei respondeu por 42% das novas vendas de telefones na China, segundo a empresa de pesquisa IDC.</p>
<p>
Ao longo de 2019, a Apple ofereceu descontos e esquemas de financiamento destinados a aumentar as vendas na China.</p>
<p>
Na última teleconferência de resultados da empresa, o presidente-executivo da Apple, Tim Cook, sugeriu que tais iniciativas foram bem-sucedidas em atrair mais consumidores chineses.</p>
<p>
A Apple deve divulgar seu próximo balanço trimestral no final de janeiro.</p>
<p>
(Reportagem de Josh Horwitz)</p>