Veja como candidatos ao Enem se prepararam para as provas em Divinópolis em meio à pandemia


Alguns tiveram dificuldades para estudar por falta de internet e responsabilidades acumuladas no período de pandemia. Outros puderam aproveitar o isolamento social e se dedicaram ainda mais aos estudos. Maria Eduarda se preparou para o Enem em Divinópolis e vai tentar medicina
Maria Eduarda/Divulgação
O G1 entrevistou quatro candidatos inscritos para fazer a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste domingo (17) em Divinópolis, para saber deles como se prepararam para o exame e quais os receios em relação ao período de pandemia.
A segunda etapa da prova será realizada no domingo (24). Veja também quantas pessoas se inscreveram na região Centro-Oeste de dicas para a execução da prova de forma segura.
Dedicação
Maria Eduarda tem 23 anos e vai prestar o Enem pela segunda vez. Ela quer fazer medicina e, por isso, se dedica aos estudos há mais de dois anos. Ela conta que nos primeiros seis meses, a pandemia foi uma aliada para estudar de forma reservada em casa, onde só moram ela e a mãe. Em um cantinho preparado apenas para estudos no seu quarto ela acompanhou um cursinho online e também estudou por meio de apostilas.
“Nos primeiros seis meses a pandemia me ajudou, mas depois foi criando uma pressão psicológica e começou a gerar uma certa angústia e a rotina de estudos ficou cansativa”, disse.
Ainda assim, ela afirmou que se sente confiante para a realizar a prova deste domingo (17). Com os cuidados necessários ela pretende se dar bem nas questões e ingressar para uma universidade o quanto antes.
Dificuldade para estudar
A realidade da dona de casa Joyce Aparecida Leal, é bem diferente da de Maria Eduarda. Em uma casa com marido e dois filhos pequenos, de cinco e três anos de idade, a única ferramenta de para estudar foi uma apostila com todas as matérias do exame, que ela ganhou de uma vizinha. Ela não tem computador e o celular não permite acesso a conteúdo de estudos.
Com a pandemia, um dos filhos que frequenta a escolinha teve que ficar em casa e ela sozinha precisou se dedicar aos cuidados da casa, marido e filhos. Ela conta que viveu momentos de insegurança e frustração por não ter conseguido se dedicar aos estudos como gostaria.
“Penso que vou ter que adiar o sonho de ser enfermeira. Não estudei como deveria e acho que não terei condições de fazer a prova”, disse.
Sobre estar em uma sala fechada para fazer a prova, ela disse que está pensando em não se arriscar. “Acho que diante da situação, não tendo estudado, não devo correr riscos desnecessários. Não vou ter condições de passar e ainda vou correr o risco de pegar esse vírus e contaminar mais pessoas que eu amo. Em resumo essa pandemia adiou ainda mais o meu sonho. Vou me preparar para tentar na próxima oportunidade”, disse.
Confiante
Júlio César Souza, 19 anos, quer cursar engenharia. Ele finalizou o ensino médio de forma remota e ainda finalizando os estudos ele já estava matriculado em um cursinho preparatório para o Enem. Sobre a pandemia, ele ressaltou as dificuldades e afirmou que se sente preparado para a prova.
“Escolheram aplicar essa prova neste momento e eu não posso perder, mesmo diante das dificuldades e riscos. Eu me preparei e sinto que devo fazer, mas claro, vou tomar todas as medidas necessárias para não contrair a doença”, destacou.
José Augusto, de 18 anos, também vai fazer a prova. Em casa ele se preparou com os livros da escola e disse que mesmo tendo estudado razoavelmente ele quer tentar fazer a prova em busca do curso de psicologia.
“Eu só estudei com os livros da escola e um pouco de conteúdo na internet. Tive um direcionamento de professores, mas a pandemia dificultou essas orientações, presencialmente seria muito melhor para esclarecer dúvidas”, contou.
Inscritos
Primeira prova do Enem 2020 é neste domingo (17)
TV Globo/Reprodução
O Centro-Oeste de Minas teve 30.542 candidatos inscritos para Enem de 2020, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Por causa da pandemia da Covid-19, o exame que seria realizado em novembro foi adiado para este domingo (17) e o próximo final de semana.
Conforme os dados, foram feitas inscrições para o exame em Pompéu, Piumhi, Pitangui, Pará de Minas, Oliveira, Nova Serrana, Luz , Lagoa da Prata, Itaúna, Formiga, Divinópolis, Claudio, Bom Despacho, Bambuí, Arcos e Abaeté.
Na região, Divinópolis teve o maior número de inscritos, seguido por Pará de Minas. Foram respectivamente, 9.085 e 3.152 candidatos inscritos.
A informação divulgada pelo Inep afirma ser obrigatório levar os seguintes itens no dia da prova:
Caneta esferográfica de tinta preta e fabricada em material transparente
Documento oficial com foto de identificação (Certificado de reservista, passaporte, Carteira Nacional de Habilitação com fotografia, Carteira de Trabalho, entre outros).
Itens aconselháveis:
Cartão de confirmação de inscrição
Declaração de comparecimento impressa para assinatura do chefe de sala
Proibições nas salas das provas:
Borracha
Corretivo
Chave com alarme
Artigos de papelaria
Impressos e anotações
Lápis
Lapiseira
Livros
Manuais
Régua
Óculos escuros
Caneta de material não transparente
Dispositivos eletrônicos (celulares, calculadoras, agendas eletrônicas, tablets, iPods, gravadores, pen drive, mp3, relógio, alarmes)
Fones de ouvido ou qualquer transmissor, gravador ou receptor de dados, imagens, vídeos e mensagens.
Cuidados com a Covid-19
O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) adotou um conjunto de medidas preventivas para garantir uma aplicação segura para os 5,7 milhões de inscritos no Enem 2020. Os protocolos foram definidos em conjunto com as empresas contratadas para a aplicação do exame, com base nas diretrizes do Ministério da Saúde e de outros órgãos de referência.
O exame será aplicado neste domingo e no próximo (24) em uma versão impressa. Nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro o exame terá uma prova digital;
Foram estabelecidas regras específicas para reduzir aglomerações nos locais de prova. Os portões serão abertos às 11h30 (Horário de Brasília), 30 minutos antes do previsto nos editais.
O número de participantes por sala foi reduzido. A ocupação será de 50% da capacidade máxima de cada sala.
Os locais de prova serão higienizados antes de cada aplicação e organizados para garantir o distanciamento social adequado.
As etapas de produção e distribuição de provas também observaram as regras para higienização de materiais.
Será obrigatório o uso de máscaras de proteção facial durante toda a aplicação. O participante que não utilizar a máscara cobrindo totalmente o nariz e a boca, desde sua entrada até sua saída do local de provas, ou recusar-se, sem justificativa, a respeitar os protocolos de proteção contra a Covid-19, a qualquer momento, será eliminado do exame. A exceção são casos previstos na Lei n.º 14.019, de 2020.
Só será permitida a retirada da máscara para alimentação ou ingestão de líquidos. O participante poderá levar mais de uma máscara para troca ao longo do dia.
A higienização das mãos com álcool em gel, próprio ou fornecidos pelo Inep, será obrigatória antes da entrada em sala de provas. Recipientes de álcool ficarão disponíveis durante toda a aplicação. A ida ao banheiro será permitida desde que seja respeitada a distância prevista nos protocolos.
A vistoria de lanches e a revista eletrônica nos locais de provas, com detector de metais, também respeitarão os protocolos de prevenção. Toda a equipe de aplicadores foi capacitada para possibilitar o máximo de ventilação natural e aeração dos ambientes.
As pessoas consideradas de grupos de risco: idosos, gestantes e pessoas com doenças respiratórias ou que afetam a imunidade, identificadas com base nas inscrições, terão ensalamento diferenciado. A ocupação nessas salas será de até 25% da capacidade máxima.
Além da redução de pessoas por ambiente, uma sala de até 12 pessoas será destinada aos participantes que, segundo critérios do Ministério da Saúde e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) são mais vulneráveis à doença.
Canetas usadas no Enem devem ser pretas, de tubo transparente.
Marcelo Brandt/G1; Juliane Monteiro/G1 (arte)