Valentino vai banir uso de peles e focar em marca principal


Coleções da Red Valentino, linha mais jovem da marca italiana, vão ser interrompidas a partir de 2024. Modelo desfila criação da Valentino na Semana de Moda de Paris 2020/2021
Reuters/Piroschka van de Wouw
A grife de luxo italiana Valentino informou nesta terça-feira (18) que deixará de usar peles a partir do próximo ano e focará em sua marca principal, de mesmo nome, abandonando sua segunda linha, mais jovem, a partir de 2024.
A empresa de moda controlada pelo Mayhoola, veículo de investimento do Catar, vem seguindo a iniciativa de muitas outras marcas em banir o uso de peles nos últimos anos, incluindo Prada, Versace, Gucci e Armani, devido à crescente sensibilidade dos clientes aos direitos dos animais e questões ambientais.
O chefe executivo da Valentino, Jacopo Venturini, que se juntou ao grupo italiano no ano passado, quando a indústria de artigos de luxo foi duramente atingida pela pandemia, decidiu também interromper as coleções para a marca mais jovem, a Red Valentino.
“A concentração em uma, e apenas uma marca, suportará melhor um crescimento mais orgânico da Maison”, disse o ex-executivo da Gucci em nota.