Unicamp fecha 1ª fase do vestibular 2021 com provas para 43 mil nesta quinta-feira; veja orientações em meio à pandemia


Avaliação será aplicada para candidatos das áreas de ciências biológicas e saúde. Exame reúne 72 questões testes, começa às 13h e tem duração de quatro horas; portões abrem mais cedo. Candidatos na primeira prova da 1ª fase do vestibular 2021 da Unicamp
Felipe Mateus / Unicamp
A Unicamp encerra a 1ª fase do vestibular 2021, nesta quinta-feira (7), com aplicação de provas para os 43.0631 candidatos inscritos em cursos das áreas de ciências biológicas e saúde. O exame reúne 72 questões testes e começa às 13h, com duração de quatro horas. Veja abaixo o que o estudante pode levar, o que está proibido e as orientações em meio à pandemia.
Segundo a comissão organizadora (Comvest), os portões dos locais de prova abrem às 11h45 e a orientação é para que o candidato chegue com antecedência, para evitar possível atraso. O horário significa acréscimo de 15 minutos, no comparativo com o dia anterior, para tentar evitar aglomerações.
Nesta edição, a Unicamp dividiu a 1ª fase do processo em dois dias com objetivo de evitar justamente a concentração de estudantes na porta das escolas e, com isso, reduzir o risco de transmissão do novo coronavírus. Por isso, 28,7 mil candidatos inscritos em cursos das áreas de ciências exatas/tecnológicas e ciências humanas fizeram provas na quarta. A abstenção foi de 15,54%.
Ao todo, são oferecidas 3.237 vagas em 69 cursos de graduação. O candidato pode deixar a sala a partir das 15h e, em cada dia, a prova tem o seguinte número de questões:
12 de língua portuguesa e literatura;
12 de matemática;
8 de cada disciplina: biologia, física, geografia/sociologia, história/filosofia, inglês e química.
O total de inscritos foi de 77,6 mil, incluindo recorde de estudantes oriundos da rede pública. A Unicamp faz um apelo para que cursinhos não promovam atividades com aglomerações nas portas das escolas e orienta os candidatos a evitar “torcida” presencial de pais e amigos, por exemplo.
A orientação é para que estudantes com suspeita de Covid-19 não saiam de casa para fazer a prova. Já participantes devem manter espaçamento entre si de ao menos 1,5 metro, dentro e fora das salas.
Primeira prova aborda pandemia, racismo nos EUA, queimadas e meme
Veja gabarito extraoficial e correção comentada da prova para candidatos de exatas e humanas
O que levar para a prova?
Álcool em gel e máscaras extras, em caso de necessidade de troca no decorrer da prova
Documento de identidade original indicado na inscrição;
Caneta preta em material transparente, lápis preto e borracha;
Régua transparente e compasso;
Água, sucos, doces;
Uso de bermudas e vestimentas leves
“Os candidatos poderão tomar água/sucos na sala e se alimentar, abaixando a máscara por um curto período de tempo e mantida a distância”, destaca nota da Comvest.
O que NÃO pode levar?
Aparelhos celulares (devem ser desligados imediatamente ao entrar na sala e colocar em embalagem; ele pode ser retirado após o candidato deixar o prédio);
Equipamentos eletrônicos, relógios digitais, corretivo líquido, lapiseira, caneta marca texto, bandana/lenço, boné, chapéu, ou outros materiais estranhos à prova;
O candidato pode usar relógio para controlar o tempo, mas ele deve ficar no chão.
Esquema especial
A Unicamp preparou um esquema especial para aplicar as provas da 1ª fase do vestibular 2021, com propósito de atender às regras de biossegurança contra o novo coronavírus. Haverá uso recorde de salas para as avaliações e foram feitas compras de 2 mil litros de álcool em gel e de 25 mil máscaras de proteção para os fiscais e profissionais de apoio na aplicação do exame.
Quarta-feira: 34.024 candidatos em 1.460 salas
Quinta-feira: 43.631 candidatos em 1.921 salas
Em Campinas, os maiores locais de aplicação são o campus da Unip no bairro Swift, e o campus I da PUC-Campinas, no Parque Rural Fazenda Santa Cândida. Juntos, eles concentram 3.800 candidatos.
Monitoramento e segurança
Na edição 2021 atuam 3 mil profissionais, que devem trocar as máscaras faciais a cada duas horas. A Comvest também prevê uso de termômetros em municípios onde houver obrigatoriedade.
A Unicamp ressalta que será mantido o uso da tecnologia capaz de identificar sinais de celular e radiofrequência para evitar “colas eletrônicas” durante o processo seletivo. A comissão organizadora destaca ainda que o candidato pode ser desclassificado caso desrespeite ou tenha algum comportamento inadequado em relação às orientações sanitárias e de segurança do processo.
Conteúdos
Em virtude da pandemia, a Unicamp dividiu a logística em dois dias para reduzir o risco de transmissão da doença. Além disso, foi definida redução na quantidade de questões testes – de 90 para 72, com tempo máximo de quatro horas, ao invés das cinco estipuladas em anos anteriores.
A lista de livros obrigatórios também foi alterada e passou de 12 para sete, com objetivo de garantir que os candidatos pudessem acessar todos os títulos em meio à crise sanitária para estudar.
Lista de obras literárias
Sonetos escolhidos, de Camões;
Sobrevivendo no Inferno, do grupo Racionais Mc’s;
O Espelho, de Machado de Assis;
O Marinheiro, de Fernando Pessoa;
A Falência, de Júlia Lopes de Almeida;
O Ateneu, de Raul Pompeia;
Sermões, de Antonio Vieira.
Foram excluídas desta edição as seguintes obras literárias: A teus pés; O seminário dos ratos; História do cerco de Lisboa; Quarto de despejo; A cabra vadia.
Logística
As provas ocorrem em 37 cidades, entre elas, 32 de São Paulo e cinco capitais de outros estados.
São Paulo
Araçatuba, Barueri, Bauru, Botucatu, Bragança Paulista, Campinas, Fernandópolis, Franca, Guarulhos, Indaiatuba, Jundiaí, Limeira, Lorena, Marília, Mogi das Cruzes, Mogi Guaçu, Osasco, Piracicaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santa Bárbara D’Oeste, Santo André, Santos, São Bernardo do Campo, São Carlos, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo, Sorocaba, Sumaré e Valinhos.
Outros estados
Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Curitiba (PR), Fortaleza (CE) e Salvador (BA).
Cursos mais disputados
Neste ano, os dez cursos mais procurados pelos candidatos são: medicina, arquitetura e urbanismo; ciências biológicas; comunicação social-midialogia; ciência da computação; engenharia da computação; farmácia; história; ciências econômicas e enfermagem.
O total de vagas nesta edição inclui as 639 oportunidades que estavam previstas inicialmente no edital Enem-Unicamp, que deixou de ser oferecido para ingresso no próximo ano por causa do “calendário incompatível” com o cronograma definido pelo Ministério da Educação (MEC).
Calendário Vestibular Unicamp 2021
1ª fase: 6 e 7 de janeiro
Divulgação dos aprovados na 1ª fase: 29 de janeiro
2ª fase: 7 e 8 de fevereiro
Provas de habilidades específicas (exceto música): 11 e 12 de fevereiro
Divulgação da primeira chamada: 10 de março
Comissão de averiguação virtual dos convocados cotas étnico-raciais da primeira chamada/Solicitação e divulgação do resultado de recurso dos convocados em primeira chamada de cotas étnico-raciais: 11 de março
Matrícula presencial da primeira chamada, nas unidades de ensino: 15 de março
Início das aulas: 15 de março
Confira calendário completo
Veja mais notícias da região no G1 Campinas.