União Europeia deve autorizar entrada de turistas dos EUA vacinados ‘em breve’, diz líder do bloco


Em entrevista ao jornal ‘The New York Times’, Ursula von der Leyen não informou quando essa flexibilização ocorreria, mas disse que o fato de as vacinas usadas nos EUA serem também aprovadas pelos países do bloco europeu facilitará a reabertura. Placas no aeroporto de Lisboa, em Portugal
Rafael Marchante/Reuters
A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse ao “The New York Times” que turistas dos Estados Unidos devem ser “em breve” autorizados a entrar na União Europeia. A declaração foi publicada em reportagem deste domingo (25) no site do jornal americano.
Por enquanto, as viagens diretas aos países do bloco seguem restritas a razões de comprovada necessidade. Com o rápido avanço da vacinação nos Estados Unidos — o país já iniciou a imunização de todos os grupos e chegou a 200 milhões de vacinados —, a líder da União Europeia disse que a flexibilização dependerá também da queda dos casos e mortes por Covid-19 no continente. Ela não deu detalhes sobre quando isso acontecerá.
“Vai depender da situação epidemiológica, que está melhorando nos Estados Unidos, assim como, espero, na União Europeia”, disse von der Leyen.
A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, durante sessão no dia 19 de março
Stephanie Lecocq/Reuters
Ainda segundo a presidente da Comissão Europeia, isso acontecerá porque todas as vacinas adotadas nos EUA — Pfizer, Moderna e Janssen — são aprovadas também pela autoridade sanitária do bloco.
Entre os países europeus, principalmente os mais dependentes do turismo, há a expectativa de que um ritmo mais rápido de vacinação aliado à continuidade das medidas restritivas por mais algum tempo derrubem as curvas do coronavírus no continente a tempo da alta temporada: o verão no Hemisfério Norte (meados de junho a setembro).
1 bilhão de doses aplicadas
Mundo ultrapassa a marca de 1 bilhão de aplicações de doses de vacinas contra a Covid
O mundo chegou neste fim de semana à marca de 1 bilhão de doses de vacinas aplicadas. No entanto, 58% desses imunizantes foram injetados em apenas três países, segundo a contagem feita com fontes oficiais:
Estados Unidos (225,6 milhões)
China (216,1 milhões)
Índia (138,4 milhões)
Israel é o país com o maior percentual de população totalmente vacinada, cerca de 60%, seguido pelos Emirados Árabes Unidos (mais de 51%), Reino Unido (que no sábado chegou a metade da população vacinada), Estados Unidos (42%) e Chile (41%).
No Brasil, mais de 29 milhões de pessoas receberam ao menos uma dose de vacina, segundo dados dos veículos de imprensa. Isso corresponde a mais de 13% da população.