União Europeia aprova retorno de turistas dos EUA e mais 5 países


Lista não inclui nenhum país da América Latina. Medida aprovada pelos 27 países do bloco europeu vale inclusive para os não vacinados, segundo a agência de notícias France Presse. Pessoas desembarcam no aeroporto de Barcelona, ​​na Espanha, em 7 de junho de 2021. Países da União Europeia estão adotando medidas para impulsionar a chegada de turistas estrangeiros antes do verão europeu.
Emilio Morenatti/AP
Representantes dos 27 países da União Europeia (UE) aprovaram nesta quarta-feira (16) em Bruxelas permitir o retorno dos turistas dos Estados Unidos e de mais cinco países.
A medida vale para viagens não essenciais e entrará em vigor “nos próximos dias”, informaram fontes diplomáticas às agências de notícias France Presse e Reuters.
Segundo a France Presse, a medida vale inclusive para cidadãos que não estão completamente vacinados contra a Covid-19.
Além dos EUA, serão beneficiados cidadãos de Taiwan, Sérvia, Macedônia do Norte, Albânia e Líbano. Macau e Hong Kong, regiões administrativas da China, serão incluídas se houver reciprocidade.
A decisão prevê, no entanto, que os turistas poderão ser submetidos a medidas adicionais, como testes de laboratório ou quarentenas, no desembarque em solo europeu.
A lista não inclui nenhum país da América Latina. Atualmente, apenas oito nações não têm restrições: Austrália, Coreia do Sul, Israel, Japão, Nova Zelândia, Ruanda, Singapura e Tailândia.
Verão europeu e turismo
Com a aproximação do verão no hemisfério norte e a temporada turística na Europa, os países do bloco estão se mobilizando para permitir o retorno de pelo menos uma parte dos turistas estrangeiros, como uma medida para tentar estimular a recuperação da economia.
Pessoas desembarcam no aeroporto de Barcelona, ​​na Espanha, em 7 de junho de 2021. Países da União Europeia estão adotando medidas para impulsionar a chegada de turistas estrangeiros antes do verão europeu.
Emilio Morenatti/AP
Com a pandemia, a União Europeia fechou suas fronteiras externas em março de 2020 para viagens não essenciais, mas mantém uma lista de países cujos cidadãos podem entrar como turistas.
Para ser incluído na lista, um país deve ter registrado menos de 75 novos casos de Covid-19 para cada 100 mil habitantes nos 14 dias anteriores.
O Brasil, por exemplo, teve 427 novos infectados por 100 mil habitantes nas últimas duas semanas (quase cinco vezes acima do permitido), segundo dados do “Our World in Data”, projeto ligado à Universidade de Oxford. A média mundial é de 70 (abaixo da exigência da UE).
Para liberar a circulação dos europeus dentro do bloco, a UE também iniciou a implementação de um passaporte sanitário, que certifica que o portador foi plenamente vacinado, apresentou um resultado negativo em um teste ou já pegou Covid-19.
VÍDEOS: as últimas notícias internacionais