‘Um lugar ao sol’: Primeira novela inédita desde início da pandemia estreia nesta segunda-feira (8)


Trama, que começou a ser gravada em 2020, conta história de gêmeos separados, se aprofunda em relações humanas e aborda temas como gordofobia, preconceito social e racial e abuso emocional. Cauã Reymond interpreta os gêmeos Christian e Renato em “Um lugar ao sol”
Globo/João Cotta
Primeira novela inédita desde início da pandemia, “Um lugar ao sol” estreia nesta segunda-feira (8), no horário das nove. As cenas começaram a ser gravadas ainda em 2020 e a novela vai ao ar totalmente pronta.
Criada e escrita por Lícia Manzo, a trama reflete sobre as oportunidades da vida e a falta delas, além de colocar foco nas relações humanas e familiares.
Gêmeos separados
A novela conta a histórias dos gêmeos Christian e Christofer (Cauã Reymond), que perdem a mãe no parto e são separados quando estão prestes a completar 1 ano de idade.
Christofer é adotado por um casal do Rio de Janeiro e rebatizado de Renato. Já Christian é encaminhado pelo pai, sem recursos, a um abrigo.
Sem saber da existência um do outro, eles crescem em realidades opostas, até que seus caminhos se encontram e Christian assume a identidade do irmão gêmeo, Renato, aquele que teve a chance de ter uma vida com mais oportunidades e sempre viveu no luxo.
“O tema central da novela contrapõe pessoas num lugar muito desvalido, daquelas pessoas ditas privilegiadas. E mostra quais as consequências desses irmãos idênticos serem materializados em vidas tão opostas. Na procura por um lugar ao sol, se você tem possibilidades, recursos, ferramentas, já é um facilitador humano, mas infelizmente muitos de nós não tem isso”, cita Lícia Manzo.
Em cena de “Um lugar ao sol”, Lara (Andréia Horta) conhece Christian(Cauã Reymond) em sua festa de aniversário
Globo/Divulgação
“Maior desafio da carreira”
Intérprete dos gêmeos Christian e Renato, Cauã Reymond afirma que o trabalho é o maior desafio de sua carreira.
“Foi muito impactante porque um dos irmãos é adotado e o outro não. Fica a mágoa, o desejo de ter tido as mesmas oportunidades. Estou ansioso para conferir o resultado. É como se esse desafio entrasse na minha corrente sanguínea. Me entrego a todos os meus personagens, mas ‘Um Lugar ao Sol’ faz parte de mim”, diz o ator.
“No meu ofício, entrego minha emoção, meu tempo, meu foco, minha determinação, dou uma parte enorme de quem eu sou durante um período de tempo. Que esse trabalho gere muita reflexão, além de entretenimento.”
Gravações na pandemia
Andreia Horta será um dos pares de Cauã Reymond na novela. Sua personagem é Lara, uma mulher batalhadora e que vai sofrer e ser enganada pelos vilões.
Gravando durante a pandemia de Covid-19, a atriz conta sentiu muita responsabilidade ao receber esse papel.
“Tivemos um protocolo super rígido e uma conduta super atenta, a gente era testado todos os dias, de segunda a sábado. A gente tinha um comprometimento de se manter protegido, de não ficar indo a lugares, não encontrar pessoas. Então foi exercer um sacerdócio mesmo, difícil, delicado e importante”, contou a atriz ao g1.
Outra novidade no processo de produção é que os atores ficaram no escuro, sem saber muita coisa dos outros núcleos e sem a resposta diária do público.
“A gente já acabou e eu não sei nada. Não sei sobre os outros personagens, como é o cenário, não encontrei com os outros atores. Foi uma experiência muito única muito diferente, minha primeira novela que acaba sem ter estreado.”
Elenco
Além de Cauã e Andréia, também estão no elenco de “Um luar ao sol” estrelas como Alinne Moraes, Ana Beatriz Nogueira, Marieta Severo, Denise Fraga, Andréa Beltrão, Gabriel Leone, Juan Paiva, entre outros.
Através de Andréa, intérprete da ex-modelo Rebeca, a trama vai tratar questões do envelhecimento e das consequências para quem sempre trabalhou com a imagem.
“Rebeca fala muito sobre a beleza, o envelhecimento, mas não vejo como uma angústia. Ela pensa muito nisso, mas o mais interessante é que não é uma derrota. São perguntas, dilemas, problemas… A Rebeca reage e, por mais que fique insegura, sofra, está sempre ativa na situação.”
“Na minha vida, tenho a mesma idade que a Rebeca [58 anos] e não vivi nenhuma opressão em relação à televisão. Estou bem. Quando me olho no espelho, me vejo até mais bonita do que antes”, analisa a atriz.
André Beltrão interpreta a ex-modelo Rebeca em “Um lugar ao sol”
Globo/Fábio Rocha
Temas contemporâneas
“Um lugar ao sol” também aborda outros temas contemporâneos. Entre eles, gordofobia, preconceito social e racial, abuso emocional, os dilemas da mulher moderna após os 50 anos, gravidez na adolescência, liderança feminina, alcoolismo, entre outros.
“Toda essa discussão está aí: sobre corpo livre, belezas múltiplas, invisibilidade feminina, liderança feminina… A novela acaba por refletir o que está acontecendo, dando visibilidade e colocando os temas na roda”, explica a autora.
‘Um Lugar ao Sol’: novela se aprofunda em relações humanas e fala do amor de diferentes ângulos