Um em quatro pais não sabe que meningite é evitada com vacina

Sete das oito vacinas obrigatórias para as crianças estão com cobertura baixa

Sete das oito vacinas obrigatórias para as crianças estão com cobertura baixa
Freepik

Uma pesquisa realizada pelo IBOPE Conecta, sob encomenda da farmacêutica Pfizer, mostrou que homens que são pais têm mais dúvidas em saúde infantil do que as mães. O estudo ‘Doenças infectocontagiosas nos dois primeiros anos de vida: mitos e temores da família brasileira’ foi, realizado com mil pais das classes A, B e C de todo o país.

Segundo o estudo, um em quatro pais, ou 26%, não sabe que a meningite pode ser evitada pela vacinação, contra 17% das mães. A vacina menigocócica C é oferecida pela rede pública de saúde e está disponível para crianças até cinco anos.

Esssa vacina é ministrada em três doses: uma aos três meses de idade, outra aos cinco e um reforço ao completar um ano. Existem também as vacinas meningocócicas A, B, W e Y, mas essas não são disponibilizadas pelo SUS.

Leia também: Crianças são principais vítimas da meningite meningocócica. Entenda

Entre outras doenças graves evitáveis que pais mostraram desconhecimento em relação à vacinação estão o tétano (pais 26%; mães 14%); rubéola (pais 28%; mães 14%); poliomielite (pais 26%; mães 18%); sarampo (pais 30%; mães 17%); coqueluche (pais 39%; mães 24%); catapora (pais 46%; mães 31%); caxumba (pais 46%; mães 33%); tuberculose (pais 62%; mães 52%); e pneumonia ( pais 73%; mães 63%).

Na pesquisa, ainda, cerca de 19% dos pais acreditam que tomar muitas vacinas nos dois primeiros anos de vida da criança sobrecarregaria seu sistema imunológico, contra 11% das mães.

Saiba mais: Calendário de vacinação infantil traz mudanças este ano. Saiba mais

O estudo mostra, também, que 61% dos homens acreditam que não há problemas em adiantar ou atrasar doses complementares das vacinas, não afetando sua eficácia.

Nesta segunda-feira (3), o Ministério da Saúde divulgou que sete das oito vacinas obrigatórias para as crianças estão com cobertura baixa. Apenas a vacina BCG, contra tuberculose e ministrada ao nascer, apresentou 95% de imunização em 2018.

Veja também: Alumínio na vacina da gripe causa problemas? Veja mitos e verdades

Entre as vacinas que com baixa cobertura estão a tríplice viral, meningocócica C, pneumocócica, poliomielite, pentavalente, rotavírus e hepatite A.

As vacinas de aplicação obrigatória durante a infância são BCG, tríplice viral, meningocócica C, pneumocócica, poliomielite, pentavalente, rotavírus e hepatite A.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Deborah Giannini

Entenda a importância de tomas duas doses da vacina contra o HPV: