UFRJ adota auxílio inclusão digital para mais de 3 mil estudantes, em meio a aulas online na pandemia


Universidade Federal do Rio de Janeiro, prestes a completar 100 anos, foi a primeira do país e agora se adapta ao meio digital. A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que está prestes a completar 100 anos, retomou as aulas de um jeito diferente, em meio à pandemia do coronavírus. Parte do orçamento foi reservado para enfrentar o desafio de chegar à casa de cada aluno: cerca de 3,4 mil estudantes receberam R$ 1 mil para comprar um computador e acompanhar as aulas à distância.
UFRJ diz que pode suspender pesquisas em 2021 se corte de R$ 71 milhões for confirmado
Perto de completar 100 anos, UFRJ pretende atender à distância cerca de 50 mil alunos
Universidades públicas do RJ adotam medidas inclusivas para alunos terem aulas à distância
A universidade também distribuiu chips de internet, no que foi chamado de “auxílio inclusão digital”.
“Nós temos 50 mil estudante: 30% têm renda per capita familiar de até um e meio salário mínimo. Então, a gente tem uma parte importante, 30% dos nossos estudantes, que têm dificuldade financeira pra ter acesso digital. Por isso é importante esse edital, porque a gente chamou o edital de inclusão digital”, diz a reitora, Denise Pires de Carvalho.
Os alunos precisaram comprovar a compra dos equipamentos. Andressa Zogbi foi uma das beneficiadas e afirma que o projeto a ajudou.
“Eu não tinha com o que estudar, eu teria que estudar no meu celular e a câmera já está um pouco quebradinha e isso dificulta muito. Eu acho que isso não vai ajudar só eu, mas muita gente que não tem como comprar”, diz.
A UFRJ foi criada em setembro de 1920 — a primeira universidade federal do país. Em um século, o perfil de alunos mudou. Entre 2010 e 2018, o número de estudantes negros dobrou. Agora, são 56%.
Cidade Universitária da UFRJ, na Ilha do Fundão, no Rio de Janeiro
Alba Valéria Mendonça/ G1
Mais VÍDEOS do JN sobre a Covid-19
Initial plugin text