UFJF faz últimos ajustes para início do primeiro semestre letivo de 2021; cursos da saúde não têm previsão de retorno


Enfermagem, Medicina e Odontologia aguardam possibilidade de oferta de disciplinas práticas para iniciar o semestre. Aulas começa dia 17 de maio de forma remota. Campus-sede UFJF – Imagem do prédio onde está localizada a Reitoria
Frederico Boza Alvim UFJF/Divulgação
A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) está em processo final dos preparativos para o início do primeiro semestre letivo de 2021, que começa no dia 17 de maio. As aulas vão ocorrer de forma remota por causa da pandemia de Covid-19 e cursos da Saúde ainda não têm previsão de retorno.
Em abril, a UFJF divulgou o calendário acadêmico com prazos de matrículas e data das colações de grau.
De acordo com a UFJF, os cursos de Enfermagem, Medicina e Odontologia irão aguardar a possibilidade de oferta de disciplinas práticas, “no momento em que isso for possível”, para iniciar o semestre. A decisão impacta calouros e veteranos, ou seja, apesar de já matriculados, os novos alunos também deverão esperar para o início das aulas.
Os estudantes aprovados tinham até o dia 23 de abril para se matricularem. Outras classificações para entrada ainda neste semestre estão previstas para os próximos dias.
Segundo o pró-reitor de graduação, Cassiano Amorim, está sendo planejada uma semana de acolhimento para os calouros, com atividades remotas informativas e de apresentação da Universidade. A programação ainda será divulgada.
“Como a situação epidemiológica ainda não permite uma recepção presencial, essa foi uma forma de estreitar o contato com os novos estudantes, esclarecendo dúvidas e passando informações”, explicou.
De acordo com definição do Conselho Superior (Consu)da UFJF, as atividades presenciais seguem suspensas na instituição pelo menos até o dia 30 de junho.
Cursos da saúde terão que aguardar para iniciar semestre
Os cursos de Medicina (campus Juiz de Fora), Odontologia (JF e Governador Valadares) e de Enfermagem (JF) irão aguardar a possibilidade de oferta de disciplinas práticas, no momento em que isso for possível, para iniciar o semestre.
Cassiano Amorim explicou que esses cursos têm uma grande quantidade de disciplinas práticas, algumas delas com mais de dois mil alunos aguardando para cursá-las e, por isso, “há um represamento de alunos que inviabiliza o início de novas turmas”.
Na última segunda-feira (3,) a Prefeitura de Juiz de Fora divulgou nova nota técnica do Programa “Juiz de Fora pela Vida”, que autoriza atividades práticas presenciais para os cursos da saúde de instituições de ensino superior.
Propostas
Minutas de calendários suplementares e de oferta de disciplinas intensivas práticas, para diminuir o atraso e represamento, e a possibilidade adoção de ensino híbrido (presencial e on-line) são algumas das propostas têm sido traçadas para atender as especificidades desses cursos, informou a UFJF.
O planejamento também inclui protocolos de biossegurança a serem adotados por alunos, professores e técnicos na possibilidade de retomada das atividades.
Para que as propostas possam ser implementadas, é necessária uma série de aprovações. Veja abaixo:
Avaliação favorável sob o ponto de vista da situação epidemiológica;
Autorização, por meio de decreto municipal para retomada das atividades em instituições de ensino superior;
Aprovação das propostas em comissões e conselhos internos, como o Conselho Setorial de Graduação (Congrad), por exemplo;
Aprovação do Consu da UFJF. As decisões são respaldadas pelos comitês e conselhos e representam o coletivo, ou seja, todos os segmentos que compõem a instituição e a comunidade que a integra.
Os cursos também têm se mobilizado na preparação para um possível retorno presencial. Projetos e planos têm sido apresentados para o retorno das práticas, os quais são analisados e avaliados pela Prograd, pela Comissão de Infraestrutura e Saúde e pelo Comitê de Monitoramento da Covid-19.
Alguns exigem adaptações físicas, inclusive, que também estão sendo planejadas. No caso da Odontologia de Governador Valadares, um grupo de trabalho foi formado para discutir questões específicas do curso.
Estágios
Ao contrário das aulas práticas, os estágios obrigatórios para os cursos de Saúde e para o Jornalismo estão autorizados desde agosto de 2020. Desde fevereiro deste ano, também está autorizada pelo Consu a participação de bolsistas de iniciação científica nos laboratórios de pesquisa para projetos diretamente relacionados ao combate à pandemia da Covid-19.
Sobre a lentidão para o trâmite da documentação e de novos convênios, a UFJF informou que tiveram que ser feitas adequações para atender aos decretos municipais ou estaduais.
“Cabe destacar que, a cada mudança, há necessidade de reorganização dos campos de estágios para acolher os acadêmicos adequadamente. Apesar de frustrante, essa condição é excepcional diante do cenário da pandemia, e os alunos desses cursos puderam continuar com seus estágios”, explicou.
VÍDEOS: veja tudo sobre a Zona da Mata e Campo das Vertentes