Uber fecha parceria com Hyundai para desenvolver carros elétricos voadores

<div class="media_box full-dimensions780x340">

<div class="edges">
<img class="croppable" src="https://img.r7.com/images/carro-eletrico-07012020122816172?dimensions=780×340" title="A expectativa é que o serviço esteja disponível em 2028" alt="A expectativa é que o serviço esteja disponível em 2028" />
<div class="gallery_link">
</div>

</div>
<div class="content_image">
<span class="legend_box ">A expectativa é que o serviço esteja disponível em 2028</span>
<span class="credit_box ">Phil Noble/Reuters – Foto de arquivo </span>
</div>
</div>

<p>
A Uber e a montadora sul-coreana Hyundai Motor se uniram para desenvolver táxis aéreos elétricos, entrando na corrida global para fabricar pequenos carros voadores que aliviam o congestionamento urbano.</p>
<p>
Players globais como a alemã Daimler, a chinesa Geely e a japonesa Toyota, divulgaram investimentos em startups que visam desenvolver carros voadores elétricos capazes de decolar e pousar na vertical. Mas existem grandes obstáculos tecnológicos e regulatórios no caminho.</p>
<p>
A Uber e a Hyundai, por exemplo, deram prazos muito diferentes para a comercialização do veículo, evidenciando esses desafios.</p>
<p>
"Temos feito progresso constante em direção à meta de lançar o Uber Air até 2023", disse Eric Allison, diretor da Uber Elevate, no Consumer Electronics Show (CES) em Las Vegas.</p>
<p>
Euisun Chung, vice-presidente executivo da Hyundai, disse que espera a comercialização do serviço de mobilidade aérea urbana em 2028, acrescentando que leva tempo para que leis e sistemas sejam implementados.</p>
<p>
A Hyundai é a primeira montadora a participar do projeto de táxi aéreo da Uber, que também conta com a Aurora Flight Sciences, subsidiária da Boeing, entre suas empresas parceiras.</p>
<p>
A Hyundai produzirá e implantará os veículos, enquanto a Uber fornecerá serviços de corridas aéreas compartilhadas.</p>
<p>
"Nossos planos para nossas operações comerciais limitadas em 2023 provavelmente envolverão outros parceiros", disse Sarah Abboud, gerente de comunicações da Uber, à Reuters.</p>