Tribo de Jah aposta no triunfo do bem em álbum de músicas inéditas que marca os 35 anos da banda de reggae


♪ Formada em 1986, na cidade de São Luís (MA), a banda de reggae Tribo de Jah completa 35 anos em cena com a edição de álbum de músicas inéditas. Com dez faixas, o álbum Até que o bem triunfe no final foi lançado na sexta-feira, 11 de junho, três meses após o single com a música-título, previamente apresentada em 14 de março.
Como os integrantes do grupo estão espalhados pelas cidades de Atibaia (SP), São Luís (MA) e São Paulo (SP), o disco foi gravado de maneira remota, com cada músico gravando a própria parte em casa, mas a mixagem e a masterização foram feitas no 2F Sonato Studio – o mesmo estúdio maranhense em que a banda gravou em 1991 o primeiro álbum, Regueiros guerreiros, lançado em 1992.
A diferença é que, desde 2015, o cacique da Tribo de Jah, Fauzi Beydoun, divide o posto de vocalista com o filho, Pedro Beydoun. Fauzi e Pedro estão juntos com Aquiles Rabelo, João Rodrigues, Luan Richard e Netto Enes na formação atual da banda.
No álbum Até que o bem triunfe no final, o sexteto apresenta músicas como Bredda, Doce é o amor de Jah, Elevar, Hold that love, Identidade, Migalhas em cada esquina, O último dos últimos e Samba reggae sim, senhor.
O álbum Até que o bem triunfe no final é o primeiro disco de músicas inéditas da Tribo de Jah desde Confissões de um velho regueiro (2016), disco comemorativo dos 30 anos de existência da banda.
Capa do álbum ‘Até que o bem triunfe no final’, da Tribo de Jah
Divulgação