Tom Zé recai no samba ao participar de álbum solo de Madu Madureira


Madu Madureira canta ‘Vai (Menina amanhã de manhã)’ com Tom Zé (à direita)
Sillas H / Divulgação
♪ Produtor e líder da banda Machete Bomb, Madu Madureira vem pavimentando carreira solo como cantor e compositor. Dharma – disco lançado pelo artista na sexta-feira, 21 de agosto – é o segundo álbum solo de Madureira, catarinense que reside desde a adolescência na cidade do Rio de Janeiro (RJ).
Sucessor do álbum Madu (2018), Dharma é disco que apresenta 12 faixas gravadas com produção musical e arranjos de Guilherme Gê.
Tom Zé marca dupla presença no álbum. Além de ser parceiro de Elton Medeiros (1939 – 2019) no samba de breque Tô (1976), regravado por Madureira em dueto com Paulinho Moska, o artista baiano é autor – em parceria com Perna Fróes – e convidado da regravação de Vai (Menina amanhã de manhã), música lançada por Tom Zé em 1972 e retrabalhada pelo artista quatro anos depois em registro para o álbum Estudando o samba (1976), do qual Madureira pescou Tô.
No álbum Dharma, Madu Madureira também revive Deus me proteja (2008), de Chico César, em dueto com o cantor carioca Pedro Miranda. Já Luana Carvalho figura no disco como convidada de Madu Madureira da regravação de A voz que não se cala (Rogê e Stephane San Juan, 2018).