Tom Cruise ou Yulia Peressild? EUA e Rússia travam disputa para enviar artista ao espaço


Rússia anunciou produção de filme de ficção na Estação Espacial Internacional em outubro, e quer alcançar a proeza antes dos EUA, que preparam projeto com Tom Cruise. Tom Cruise e Yulia Peressild
Divulgação e Reprodução / Instagram da atriz
A Rússia anunciou nesta quinta-feira (13) que uma equipe de cinema vai produzir um filme de ficção a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS) em outubro. Moscou espera alcançar a proeza antes dos Estados Unidos, que também preparam um projeto, encenado por Tom Cruise.
A corrida espacial disputada por Rússia e Estados Unidos está virando literalmente história de cinema. A agência espacial russa Roscosmos confirmou que prepara o envio da atriz Yulia Peressild, de 36 anos, e do diretor Klim Chipenko, de 37 anos, para a ISS em outubro. Os dois devem rodar algumas cenas do “primeiro filme de ficção no espaço”, celebrou Moscou.
Com o nome provisório de “O desafio”, o filme é coproduzido por Dmitry Rogozine, chefe da Roscosmos. Ele não esconde de ninguém a vontade de que seu país seja o primeiro a realizar uma produção cinematográfica no espaço, antes dos Estados Unidos.
Mas os norte-americanos também têm um projeto na manga, e contam com um nome de peso: Tom Cruise. O astro de Missão Impossível e Top Gun deve embarcar rumo à ISS, também em outubro deste ano, para gravar algumas cenas do novo filme do diretor Doug Liman, que também faz parte da viagem.
Aos 58 anos, o ator hollywoodiano é conhecido por adorar rodar filmes de ação, abrindo mão de dublês sempre que possível. Ele já está se preparando fisicamente para essa nova aventura, que conta com o apoio da Nasa e de Elon Musk, dono da Space X, que vai disponibilizar a cápsula espacial na qual Cruise e Liman viajarão.
O ator e o diretor americanos devem ficar no espaço durante dez dias. O orçamento previsto para o filme, que terá apenas algumas cenas rodadas na ISS, é de US$ 200 milhões, dos quais metade devem ir para essa viagem, já que a “compra” de cada assento na cápsula espacial custa US$ 50 milhões.
Mas esse valor será certamente rentabilizado desde o lançamento do filme, que entrará para a história como o primeiro rodado realmente no espaço. Isso se os russos não chegarem na frente.
Concorrência espacial
Moscou perdeu em 2020 o monopólio dos voos tripulados, que o país mantinha desde 2011. Em maio do ano passado, a SpaceX se tornou capaz de enviar astronautas para a estação, ganhando os contratos da Nasa e das agências europeia e japonesa.
Mas a Rússia espera recuperar rapidamente esse papel de “agência de viagem espacial”. Moscou anunciou nesta quinta-feira (13) que vai colocar em órbita, em dezembro, o bilionário japonês Yusaku Maezawa.
“Tenho muita curiosidade para ver como é a vida no espaço, então planejei descobrir por mim mesmo e compartilhar com o mundo em meu canal do YouTube”, contou Maezawa em um comunicado oficial. A viagem está programada para 8 de dezembro a bordo de uma espaçonave Soyuz e deve durar 12 dias.
O bilionário, que fez fortuna no comércio online, viajará acompanhado do assistente Yozo Hirano, encarregado de documentar a aventura. O valor pago por ele para a excursão espacial não foi revelado.
Tom Cruise briga com colegas de filmagem que violam distanciamento