Tiago Araripe abarca Zeca Baleiro na ponte Brasil-Portugal que sustenta o álbum ‘Terramarear’


Artista cearense festeja 70 anos com disco autoral que reúne músicas gravadas com as cantoras Isadora Melo e Vânia Bastos. ♪ Morando em Portugal desde 2018, o cantor e compositor cearense Tiago Araripe celebra 70 anos de vida com a edição de álbum, Terramarear, erguido na ponte intercontinental que liga Brasil e Portugal, passando pela África.
Do Brasil, o terceiro álbum autoral de Araripe – lançado nesta segunda-feira, 26 de julho, com capa que expõe ilustração de Rodriguez Júnior – abarca nomes como Isadora Melo, Juliano Holanda, Marcos Lessa, Nonato Luiz, Vânia Bastos e Zeca Baleiro nas gravações das 14 músicas que compõem o repertório do disco, sendo quatro inéditas.
Isadora Melo é a convidada da gravação da música Das horas (Tiago Araripe), lançada há três anos no EP Na mala, só a viagem (2018) e remasterizada para o álbum Terramarear. Desse EP produzido por Juliano Holanda, o disco também rebobina os registros das músicas Bem aqui, De passagem (parceria de Araripe com Holanda) e Perder alguém.
No lote de faixas inéditas, Tiago Araripe apresenta no álbum músicas compostas e gravadas com as vozes dos parceiros Marcos Lessa (Meus para-choques) e Zeca Baleiro (Você é um oásis).
Capa do álbum ‘Terramarear’, de Tiago Araripe
Ilustração de Rodriguez Júnior
Também inédita, Calar pelos cotovelos é música feita por Araripe na pandemia e gravada em 2019 na aldeia lusitana de Fanhais, em Nazaré, com produção musical de Tahina Rahary, multi-instrumentista e compositor de Madagascar que mora há anos em Portugal.
O violonista Nonato Luiz é o parceiro e convidado do artista no tema Seis cordas. Já a cantora Vânia Bastos ilumina Lugar ao sol.
Terramarear é o primeiro álbum de Tiago Araripe desde Baião de nós (2013), disco que sucedeu o já longínquo primeiro álbum do artista, Cabelos de Sansão, lançado pelo selo Lira Paulistana em 1982.