‘Tenet’ arrecada US$ 20 milhões nos cinemas da América do Norte


Filme com trama que mistura espionagem e ficção científica estreou na quarta-feira (2) com a esperança de atrair o público ao cinema após meses de confinamento. Com John David Washington e Robert Pattinson, ‘Tenet’ ganha nova data de estreia nos cinemas americanos por conta da Covid-19
Divulgação
Em um momento em que os cinemas lutam para voltar à normalidade durante a pandemia da Covid-19, o lançamento do primeiro ‘blockbuster’ de Hollywood em seis meses, “Tenet”, de Christopher Nolan, arrecadou US$ 20,2 milhões (cerca de R$ 107 milhões) em cinco dias na América do Norte.
Para um filme visto como um provável sucesso de bilheteria, os números seriam preocupantes para a Warner Bros. Pictures, sua distribuidora, não fosse a atual situação incomum pela qual a indústria cinematográfica atravessa devido à pandemia.
Com um orçamento de produção de US$ 200 milhões, o lançamento do filme representou uma grande aposta para o estúdio.
“A nível nacional, “Tenet” estreou no extremo inferior das expectativas: US$ 20 milhões até segunda-feira”, anunciou neste domingo (6) a empresa especializada Exhibitor Relations.
O lançamento, porém, acontece em plena pandemia, com muitas salas ainda fechadas ou funcionando com capacidade reduzida.
A indústria americana esperava aproveitar o fim de semana prolongado, devido ao feriado do Dia do Trabalho.
“Literalmente, não há contexto com o qual comparar os resultados da estreia de um filme durante uma pandemia com qualquer outra circunstância”, disse a Warner Bros. em comunicado.
“Tenet”, um filme com uma trama que mistura espionagem e ficção científica, estreou na quarta-feira (2) com a esperança de atrair o público ao cinema após meses de confinamento.
A obra teve resultados melhores no estrangeiro, onde os cinemas voltaram a abrir a mais tempo, informou o Hollywood Reporter, arrecadando cerca de US$ 150 milhões (cerca de R$ 795 milhões) no mundo.
Em contraste, a Disney optou por lançar o filme “Mulan” diretamente nas plataformas digitais.
Semana Pop #88: relembre clássicos do cinema com momentos em drive-ins