Taxa oficial de desmatamento é 27% maior do que apontava sistema de alertas do Inpe para 2019/2020

Prodes registrou 11.088 km² de desmatamento consolidado entre agosto de 2018 e julho de 2019. Já o Deter emitiu alertas para 9.205 km² no mesmo período. A taxa oficial de desmatamento na Amazônia Legal divulgada nesta segunda-feira (30) pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) é 27% maior do que os números já divulgados antes nos alertas de desmate.
A comparação leva em conta dois sistemas do Inpe: a taxa oficial se refere aos dados do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes), que é divulgado uma vez por ano. Nesta segunda, o órgão divulgou que 11.088 km² foram desmatados entre agosto de 2019 e julho de 2020.
FOCO DO DESMATE: Pará concentra quase metade do desmatamento na Amazônia durante a temporada 2019/2020
CRÍTICA AO GOVERNO: Alta do desmatamento não é ‘surpresa’ diante do desmonte das políticas ambientais, dizem entidades
Já o Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter) havia emitido alertas para 9.205 km² registrados no mesmo período. O Deter é um sistema de atualização diária, cujo balanço que apontava a tendência de alta já era conhecido desde agosto.
Os dois sistemas têm propósitos e características distintas e o Prodes, historicamente, apresenta números maiores. A diferença no ano passado foi maior, chegando a 42%.
A diferença nesta temporada foi inferior à verificada na temporada anterior. De acordo com o Ministério da Ciência e Tecnologia, ao qual o Inpe é subordinado, o sistema passou por melhorias: houve redução do tempo de passagem do satélite de cinco para um dia para revisitar o mesmo lugar. “Nesse ano, o Inpe melhorou o Deter. Temos o Deter Intenso”, afirmou Marcos Pontes.
Veja as recentes polêmicas sobre o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles
VÍDEOS: mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias