SpaceX enviará primeira tripulação inteiramente civil civil à órbita da Terra nesta quarta


Evento de turismo espacial deve durar cerca de três dias e levará bilionário Jared Isaacman, fundador da empresa de comércio eletrônico Shift4 Payments. Foguete Falcon 9, da SpaceX, em lançamento realizado em 23 de abril de 2021
NASA/Ben Smegelsky via REUTERS
A SpaceX vai enviar quatro pessoas ao espaço nesta quarta-feira (15) em uma missão de três dias, a primeira que orbitará a Terra com tripulação totalmente civil.
O evento irá marcar a entrada da empresa do bilionário Elon Musk na corrida do turismo espacial, que já contou com excursões de outros endinheirados que querem explorar esse mercado.
Em julho passado, Richard Branson fez um voo ao espaço de cerca de 20 minutos, enquanto Jeff Bezos ficou 10 minutos a bordo da nave da sua empresa Blue Origin.
Desta vez, no entanto, o dono da empresa espacial não estará no voo. Quem fará a viagem será Jared Isaacman, norte-americano fundador da empresa de comércio eletrônico Shift4 Payments. Ele levará outros três companheiros novatos em voos espaciais.
LEIA TAMBÉM:
Jeff Bezos, homem mais rico do mundo, vai ao espaço e agradece a clientes da Amazon: ‘Vocês pagaram’
Bilionário Richard Branson vai ao espaço em foguete da sua empresa Virgin Galactic
Jeff Bezos ou Elon Musk: a decisão que leva a Nasa aos tribunais
O magnata da tecnologia de 38 anos de idade investiu uma soma não divulgada para que Elon Musk viabilizasse a viagem a bordo de uma cápsula do foguete Dragon da SpaceX.
O veículo está pronto para decolar do Kennedy Space Center da NASA no topo de um dos foguetes reutilizáveis Falcon 9, com um lançamento com prazo de 24 horas que se inicia às 21h (horário de Brasília) da próxima quarta.
Apelidado de Inspiration4, o passeio especial foi concebido por Isaacman principalmente para aumentar a conscientização e o apoio em prol de uma de suas causas favoritas, o St. Jude Children’s Research Hospital, importante centro de tratamento de câncer pediátrico. Ele prometeu US$ 100 milhões ao instituto.
Mas uma missão bem-sucedida também ajudaria a inaugurar uma nova era de turismo espacial comercial, com várias empresas competindo por clientes ricos e dispostos a pagar uma pequena fortuna para experimentar a alegria do voo supersônico, a ausência de gravidade e o espetáculo visual do espaço.
Definir níveis aceitáveis de risco para o consumidor neste empreendimento perigoso de viagem espacial também é fundamental e levanta questões importantes.
“Você precisa ser tanto rico como corajoso para embarcar nesses voos agora?” disse Sridhar Tayur, professor de gestão de operações e novos modelos de negócios da Carnegie Mellon University em Pittsburgh, em entrevista à Reuters na última sexta (10).
O que a ida de Bezos ao espaço e um arremesso de basquete tem em comum
Além da corrida espacial bilionária
A SpaceX é facilmente a empresa mais bem estabelecido na crescente constelação de empreendimentos de viagens espaciais comerciais, tendo já lançado várias carregamentos e astronautas para a Estação Espacial Internacional para a NASA.
As empresas rivais Virgin Galactic e Blue Origin celebraram recentemente suas primeiras missões de turismo espacial com seus respectivos executivos fundadores – os bilionários Richard Branson e Jeff Bezos – cada um participando do próprio passeio inaugural.
Mas esses dois voos tinham escala suborbital, enviando suas tripulações de astronautas ao espaço e de volta em questão de minutos.
O voo da SpaceX é projetado para transportar seus quatro passageiros onde nenhuma tripulação civil jamais esteve – para a órbita da Terra.
Lá, eles darão a volta ao globo uma vez a cada 90 minutos e a mais de 27.358 quilômetros por hora, ou aproximadamente 22 vezes a velocidade do som. A altitude alvo é de 575 quilômetros, além das órbitas da Estação Espacial Internacional ou mesmo do Telescópio Espacial Hubble.