‘Serviço de guincho’ recolhe mais de 12.500 patinetes na Califórnia e cobra resgate


Dupla afirma que retira veículos estacionados indevidamente em propriedades privadas. Operadoras de patinetes afirmam que recolhimento é ilegal e entraram com processo na Justiça. Os fundadores da Scoot Scoop John Heinkel e Dan Borelli mostram patinetes recolhidos em San Diego, na Califórnia
Mike Blake/Reuters
Dois homens estão recolhendo por conta própria patinetes elétricos compartilhados que estão espalhados por San Diego, na Califórnia. John Heinkel e Dan Borelli criaram o que chamam de serviço de guincho para rebocar os veículos deixados em propriedades privadas.
VÍDEO: 10 dicas para andar de patinete
Em pouco mais de um ano de operação, a Scoot Scoop tirou mais de 12.500 patinetes de circulação, de acordo com a agência Reuters. Depois do recolhimento, a empresa cobra ao menos US$ 50 das operadoras para devolver os equipamentos.
Patinetes recolhidos pela Scoot Scoop na Califórnia
Mike Blake/Reuters
Como acontece com patinetes e bicicletas compartilhadas no Brasil, eles são deixados em locais indefinidos em San Diego, como calçadas, e muitas vezes podem atrapalhar o trânsito de pedestres.
No caso do Scoot Scoop, a dupla diz recolher patinetes que foram estacionados em hotéis ou outras propriedades particulares. Como uma startup, os dois recebem chamados por meio de um aplicativo e vão até o local para retirar os patinetes.
John Heinkel e Dan Borelli rebocando patinetes em San Diego na terça-feira (29)
Mike Blake/Reuters
Operadoras dizem que retirada é ilegal
A maioria dos veículos recolhidos são da Bird e da Lime, mas as empresas estão se recusando a pagar para recuperar os patinetes e entraram com processo contra a Scoot Scoop no tribunal estadual da Califórnia.
Heinkel e Borelli afirmam que têm o direito de rebocar os scooter de acordo com a lei da Califórnia, quando estes estão em propriedades privadas.
Em comunicado enviado à Reuters, a Bird disse que a Scoot Scoop estava “apreendendo ilegalmente dispositivos de micro-mobilidade e exigindo um resgate por seu retorno”. Já a Lime afirmou que muitos dos patinetes apreendidos estavam “estacionados de forma responsável”
Scoot Scoop deixa patinetes guardados em pátio e cobra resgate das empresas
Mike Blake/Reuters
A cidade de San Diego aprovou no início de 2019 uma regulamentações que exige a solicitação de uma permissão por parte das empresas para poder operar. Além disso, devem seguir regras e garantir que os patinetes fiquem estacionados em locais determinados.
Em São Paulo, por exemplo, os patinetes também não podem ser colocados em qualquer lugar. A prefeitura determinou que os veículos devem ser retirados e deixados em locais privados indicados pela empresa.
Vai dar um rolê de patinete? Veja dicas:
Patinete elétrico: saiba como andar
Initial plugin text