Sepultura tem álbum referencial expandido em edição dupla


Entenda a importância de ‘Beneath the remains’, disco de 1989 que volta ao catálogo em abril com registros inéditos da banda mineira de thrash metal. Capa do álbum ‘Beneath the remains’, da banda Sepultura
Divulgação
♪ ANÁLISE – Terceiro álbum de estúdio da banda Sepultura, Beneath the remains é título referencial na discografia do grupo mineiro de thrash metal e não é por acado que ganha edição expandida em disco duplo, programado para chegar ao mercado fonográfico em 3 de abril de 2020, inclusive no formato de CD.
Ao ser lançado em abril de 1989, quatro meses após a gravação feita em dezembro de 1988 em estúdio da cidade do Rio de Janeiro (RJ), com produção musical de Scott Burns, o álbum impulsionou a carreira mundial da banda então formada pelos irmãos Max Cavalera (voz) e Iggor Cavalera (bateria) com Andreas Kisser (guitarra) e Paulo Jr. (baixo).
Primeiro álbum do Sepultura editado pela gravadora Roadrunner Records, Beneath the remains foi o disco que preparou o quarteto para a glória planetária obtida nos anos 1990, década áurea que rendeu os álbuns Arise (1991), Chaos A.D. (1993) e Roots (1996). Houve ainda um quarto álbum nessa década, Against (1998), mas este já trazia o atual vocalista Derrick Green no posto até então ocupado por Max Cavalera.
Analisado sob o benefício da perspectiva do tempo, Beneath the remains é talvez o álbum mais importante do Sepultura porque, sem a excelência técnica da gravação e sem o alcance intercontinental da gravadora Roadrunner, talvez a banda não tivesse galgado tão rapidamente as escadas que levaram o grupo mineiro ao pódio do metal mundial.
Só que o aclamado Sepultura de 2020 é bem diferente do incensado Sepultura de 1989. A banda acaba de lançar um dos melhores e mais bem recebidos discos da carreira, Quadra (2020), e parece sem interesse de voltar a esse passado glorioso com a edição deluxe de Beneath the remains.
Portanto, não é o Sepultura que “anuncia” a expandida edição remasterizada do álbum, como sentencia nota enviada pela gravadora Warner Music nesta sexta-feira, 6 de março, com os detalhes da edição dupla.
É a Warner Music, gravadora que detém o acervo da Roadrunner Records, quem anuncia essa edição com a certeza de que o álbum duplo fisgará colecionadores e fãs da banda por trazer um segundo disco com inéditos takes alternativos das músicas Beneath the remains, Lobotomy, Mass hypnosis e Primitive future, além de dez números de show feito pela banda em 22 de setembro de 1989 na Alemanha Ocidental.
Entre as dez faixas ao vivo, há registros de oito músicas de vários álbuns do Sepultura e covers dos repertórios das bandas Black Sabbath (Symptom of the universe) e Dead Kennedys (Holiday in Cambodia).
Por maior valor documental que tenham esses registros, o Sepultura de 2020 sabe que pode prescindir da exumação da obra do Sepultura de 1989.