Seis universidades brasileiras somam 33 cursos entre os 100 melhores do mundo, aponta ranking global


Entre elas, está a USP, que tem 13 cursos entre os 50 melhores do mundo. Curso de Odontologia na USP lidera lista das melhores graduações do país, de acordo com o ‘QS World University Rankings by Subject’.
Pexels
Seis universidades brasileiras somam 44 cursos entre os 100 melhores do mundo, de acordo com o “QS World University Rankings by Subject”, um ranking feito pela consultoria QS Quacquarelli Symonds, divulgado nesta quarta-feira (3).
A Universidade de São Paulo (USP) lidera a lista. Ao todo, são 32 entre os 100 melhores do mundo. Em seguida vem a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com 4; e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com 3. Completam a lista a Universidade Estadual Paulista (Unesp), a Universidade Federal de Viçosa (UFV) e a Pontifícia Universidade Católica do Rio (PUC-Rio), com um curso cada.
A análise considera as áreas de conhecimento como um todo, incluindo graduação e pós, em diferentes campis das instituições.
As melhores formações do país são em Odontologia na USP, Unesp e Unicamp. Em seguida vem Engenharia do Petróleo na USP e Unicamp, e Engenharia de Minérios e Mineração, na USP (veja a lista completa abaixo).
Em entrevista ao G1, o diretor de pesquisa da QS, Ben Sowter, afirma que o ranking não mede a qualidade do ensino, e sim a relevância do curso e da universidade, segundo parâmetros estabelecidos pela instituição. Assim, mesmo após um ano de pandemia e com a suspensão das aulas presenciais, a análise não foi afetada.
“Uma das coisas mais importantes a se reconhecer é que não estamos medindo a qualidade do ensino. Estamos medindo a posição acadêmica, a empregabilidade dos graduados, o impacto da pesquisa e a produtividade da pesquisa. Portanto, não estamos capturando o efeito da suspensão das aulas presenciais”, afirma Ben Sowter, diretor de pesquisa da QS.

G1
Ao todo, a QS pesquisou 13.883 programas universitários individuais, em 1.440 universidades em 85 locais ao redor do mundo, em 51 disciplinas acadêmicas e cinco amplas áreas de conhecimento . Os resultados completos podem ser acessados aqui.
No caso da USP, por exemplo, foi analisada a produção de conhecimento em São Paulo, Bauru e Ribeirão Preto.
Melhores cursos no Brasil
Praça do Relógio, no campus da USP em São Paulo: universidade tem 13 cursos entre os 50 melhores do mundo e 32 entre os 100.
Marcos Santos/USP Imagens
A QS analisou 241 programas de graduação em 32 universidades brasileiras, em 51 disciplinas acadêmicas.
A USP tem 13 cursos entre os 50 melhores do mundo. É o maior número entre as universidades latino–americanas.
O melhor curso do Brasil é o de Odontologia da USP. No ranking mundial, ele está em 13º lugar, um crescimento de cinco posições em relação à edição anterior da análise.
O ranking da QS também destaca o curso de Odontologia da Universidade Estadual Paulista (Unesp) está na 22ª posição. Na edição do ano passado, estava em 37º lugar, o que indica um crescimento de 15 posições entre as duas análises. Odontologia na Unicamp também melhorou a avaliação: está em 26º lugar, e antes era 29º.
A análise também aponta que a área de Engenharia de Petróleo se destaca no ensino superior brasileiro. O curso da Unicamp está em 28ª posição e o da USP, 29ª.
“O Brasil continua sendo o ecossistema de ensino superior mais forte da América Latina. Possui mais departamentos universitários classificados do que qualquer outra nação latino-americana (241), e apenas 12 países têm mais programas classificados do que o Brasil. Além disso, a Universidade de São Paulo continua a ser a universidade de melhor desempenho do continente neste exercício”, analisa Sowter .
Pesquisa contra Covid
Além disso, Sowter destaca iniciativas de pesquisa que colocaram a ciência brasileira em destaque, como no caso da Universidade Federal do Paraná (UFRJ) em parceria com a Universidade de Tübingen, na Alemanha (veja no vídeo abaixo).
Pesquisadores desenvolvem teste para Covid de custo baixo e resultado rápido
“Vimos exemplos notáveis de colaboração de outras instituições brasileiras. Por exemplo, a recente parceria de pesquisa da Universidade Federal do Paraná com a Universidade de Tübingen, na Alemanha, que viu o desenvolvimento bem-sucedido de um teste de Covid-19 de 12 minutos, colocou os pesquisadores brasileiros na vanguarda da resposta à pandemia global”, revela.
Novos cursos na análise de 2021
Na lista dos melhores cursos do mundo, 4 programas brasileiros chegaram ao top 50 de suas áreas pela primeira vez:
Hospitalidade e Turismo, na USP (37º lugar)
Antropologia, na USP (44ª posição; antes estava na faixa de 51-100)
Engenharia Agrícola & Ambiental da Unicamp (49º lugar)
Ciência Política & Relações Internacionais da USP (50ª posição)
Melhores cursos na América Latina
No recorte por América Latina, a lista da QS aponta quarenta cursos da USP, Unicamp e UFRJ entre os 100 melhores da América Latina. A USP tem 32, seguida pela Universidade Nacional Autônoma do México, com 26; e a Pontifícia Universidade Católica do Chile, com 16.
A Unicamp está em sétimo lugar, com cinco cursos, e a UFRJ está em nono, com três.
Universidades e cursos entre os 100 melhores da Am. Latina
Na América Latina, destacam-se cursos de “Agricultura e Florestas”, e “Engenharia de Petróleo”.
Segundo a QS, 41 dos 400 principais departamentos de “Agricultura e Floresta” do mundo estão na América Latina. Quase metade deles (17), no Brasil.
No ranking de “Engenharia de Petróleo”, 11 dos 100 melhores departamentos no mundo são de universidades latino-americanas.
10 melhores cursos da América Latina
VÍDEOS: Educação