Secretário-executivo do MEC, Antonio Paulo Vogel, diz que vai deixar o cargo


Vogel explicou que não deverá assumir um novo cargo dentro da pasta; ele assumiu a pasta interinamente após exoneração de Abraham Weintraub. O secretário-executivo do MEC, Antonio Paulo Vogel (centro), apresentou detalhes sobre a edição do segundo semestre do Prouni 2019
Ministério da Educação
O secretário-executivo do Ministério da Educação, Antonio Paulo Vogel, disse nesta terça-feira (14) que vai deixar o Ministério da Educação (MEC). Por telefone, ele confirmou à TV Globo que “passou o bastão” para o novo ministro, Milton Ribeiro.
O secretário disse também que não deverá assumir um novo cargo dentro da pasta, mas segue no governo federal como servidor público. Na tarde de terça, se reuniu com o atual ministro Milton Ribeiro, na sede do ministério, em Brasília. Segundo ele, para tratar de assuntos da pasta, sem detalhar os temas debatidos.
Vogel ocupava o cargo de secretário-executivo, considerado o número 2 da pasta, desde que o então ministro Abraham Weintraub tomou posse, em abril de 2019. Ele participou do grupo de transição do governo Bolsonaro e atuava como secretário-executivo adjunto da Casa Civil.
Secretaria-executiva do MEC
Quando anunciado como secretário-executivo do MEC, Vogel era o quinto nome indicado publicamente para o cargo.
Antes, o cargo esteve ligado aos nomes de Luiz Antônio Tozi, exonerado em 12 de março após uma disputa interna entre grupos ligados aos militares e os seguidores do escritor Olavo de Carvalho; Rubens Barreto da Silva, que era secretário-executivo adjunto, atuou interinamente mas nunca chegou a ser nomeado ou tomou posse efetivamente do cargo principal; Iolene Lima, que foi diretora de um colégio batista no interior de São Paulo, nunca chegou a ser nomeada oficialmente e, oito dias depois, divulgou uma nota afirmando que fora informada de que não ficaria mais no ministério.
A Secretaria-Executiva passou 17 dias sem comando definitivo, e só teve outro nome oficialmente nomeado no “Diário Oficial de União” em 29 de março. Na ocasião, o governo anunciou a escolha do nome do tenente-brigadeiro Ricardo Machado Vieira para o cargo. Menos de duas semanas depois, com a troca de ministro quando Weintraub assumiu, foi anunciado Vogel como secretário-executivo.
Perfil
No site do Ministério da Educação, o perfil de Vogel está apresentado como abaixo:
“Servidor público federal, no cargo de Auditor Federal de Finanças e Controle, o secretário-executivo do Ministério da Educação (MEC) é formado em Economia, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e em Direito, pela Universidade de Brasília (UnB). Também possui pós-graduação em Administração Financeira, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).
Atua em gestão pública há mais de 20 anos, tendo, durante esse período, ocupado funções de chefia e alta direção na Secretaria do Tesouro Nacional, nos estados do Rio de Janeiro e de Goiás, na cidade de São Paulo e no governo do Distrito Federal. No Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, foi secretário de Gestão e assessor especial no Ministério da Fazenda.
Fora do serviço público, trabalhou como consultor do Banco Mundial em finanças públicas e diretor do IRB Brasil Resseguros.
Vogel participou do processo de transição do Governo Federal. Em janeiro de 2019, assumiu o cargo de secretário-executivo adjunto da Casa Civil da Presidência da República e, posteriormente, passou a fazer parte do MEC.”
Initial plugin text