Seca 2020: DF registra maior área queimada durante estiagem dos últimos nove anos


Incêndios atingiram 16,1 mil hectares de Cerrado na capital, segundo Corpo de Bombeiros. Área destruída equivale ao tamanho das regiões de Samambaia e duas Águas Claras. Área da Marinha, atingida por incêndio volta a pegar fogo no DF
CMBDF/Divulgação
Entre julho e setembro deste ano, período de seca no Distrito Federal, os incêndios em vegetação queimaram 16,1 mil hectares na capital. A área destruída é a maior registrada nos últimos nove anos, de acordo com levantamento da TV Globo, com base em dados do Corpo de Bombeiros.
Os números mostram que cada ocorrência atendida pelos militares neste ano atingiu 2,85 hectares em média. Já o total da área destruída, desde o início do ano, é de 16.579,16 hectares – o equivalente ao tamanho de Samambaia e mais duas Águas Claras.
Veja aqui a previsão do tempo completa
DF ultrapassa tempo de estiagem do ano passado
Na série histórica, desde 2012, o recorde de queimadas na capital ocorreu em 2019, quando houve 16.177,51 hectares destruídos. Neste ano, o período de estiagem está mais longo (saiba mais abaixo) – já são 116 dias sem chuva – e a área destruída supera a do ano passado. Veja abaixo:
Mais dias sem chuva
Área queimada este ano já ultrapassou superfície queimada em 2019
Nesta sexta-feira (18), o DF completa 116 dias sem chuva. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a capital teve precipitações pela última vez no dia 25 de maio. O período de estiagem supera o registrado no ano passado, que durou 113 dias.
Dia Nacional do Cerrado: bioma concentra espécies únicas e enfrenta desafios na preservação
Cerrado: mais de 6,9 mil hectares do bioma foram queimados no DF até agosto
De acordo com o meteorologista Heráclio Alves, o tempo mais chuvoso começa apenas em outubro. Contudo, precipitações podem ser registradas na próxima semana.
“Tem uma pequena possibilidade de chuvas em áreas isoladas, principalmente por causa de uma frente fria na região sul e sudeste, que pode aumentar a umidade relativa do ar no DF.”
Amanhecer no cerrado
TV Globo/Reprodução
Apesar da possibilidade de mudança do tempo, Heráclio explica que as chuvas de setembro não serão capazes de suprir o período de estiagem. “Em outubro, ocorrerão pancadas de chuvas, inclusive com maior frequência”, aponta.
Alerta
Nesta sexta, o DF está em alerta laranja devido à baixa umidade relativa do ar – quando o índice está entre 12% e 20%. O aviso está em vigor até o fim do dia e pode ser prorrogado em nova análise do instituto.
A menor umidade do ano foi registrada há uma semana, na última sexta-feira (11), de 10%. O índice considerado ideal pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é de 60%.
Para a tarde desta sexta-feira (18), o Inmet prevê temperatura máxima de 32ºC no DF. Na madrugada, a mínima foi de 17,6ºC . A umidade máxima deve chegar a 65%.
Orientações
Com o estado de alerta, a Defesa Civil faz uma série de orientações para minimizar os impactos da baixa umidade relativa do ar. São elas:
Lavar as mãos com frequência
Usar máscaras de proteção facial
Evitar aglomerações
Manter a hidratação
Aplicar soro fisiológico no nariz e nos olhos para evitar ressecamento
Usar chapéus e óculos escuros para se proteger do sol.
Evitar queima de lixo que podem provocar incêndios
Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.