San Sebastian abre seu festival de cinema com homenagem a Marion Cotillard


Atriz francesa receberá prêmio honorário por sua carreira. Festival de Cinema teve início nesta sexta-feira (17), na Espanha. Longa ‘Madalena’, do diretor mato-grossense Madiano Marcheti, está entre filmes que serão apresentados. A atriz francesa Marion Cotillard é homenageada no Festiva de Cinema de San Sebastian, na Espanha
REUTERS/Vincent West
O festival de cinema de San Sebastian começou nesta sexta-feira (17) com a exibição do filme “Um segundo”, do famoso diretor chinês Zhang Yimou, em um dia protagonizado pela atriz francesa Marion Cotillard, que receberá um prêmio honorário por sua carreira.
Ainda com restrições pela pandemia, como capacidade reduzida nas salas, máscara obrigatória e o cancelamento de todos os tapetes vermelhos, o festival na cidade do norte da Espanha inicia, porém, com uma agenda com mais estreias e estrelas do que na edição do ano passado, muito reduzida pela Covid-19.
Serão exibidos mais de 170 filmes até 25 de setembro, quando ocorrerá a gala de premiação.
A abertura desta 69ª edição esteve a cargo de Zhang Yimou, cujo longa-metragem “Um segundo”, muito aplaudido na sala, marcou o início da competição pela Concha de Ouro de melhor filme, o prêmio máximo.
Além de contar com estreias dos franceses Claire Simon e Laurent Cantet, e do britânico Terence Davies, a seção principal tem um forte contingente espanhol, no qual se destacam “Maixabel”, de Iciar Bollain; “O bom patrão”, de Fernando León de Aranoa, e “A avó” de Paco Plaza.
A atriz francesa Marion Cotillard durante evento de abertura do 69º Festival de Cinema de San Sebastian
REUTERS/Vincent West
Cotillard e o polêmico Johnny Depp
Neste dia inaugural, todos os holofotes se voltaram para Marion Cotillard, que recebeu o honorário Prêmio Donostia.
Em coletiva de imprensa, Cotillard falou da pressão que sente ao trabalhar.
“É algo que sempre fez parte da minha vida. Sempre que começo um filme, não sei se estarei à altura”, explicou a atriz francesa de 45 anos.
Ganhadora do Oscar por sua interpretação de Édith Piaf em “Piaf – Um Hino ao Amor”, Cotillard brilhou nas telas com papéis muito diversos em filmes dirigidos por nomes como Woody Allen, Christopher Nolan, Steven Soderbergh e Michael Mann.
O outro Prêmio Donostia do festival será entregue na quarta-feira (22) a Johnny Depp, o que gerou polêmica e críticas de organizações de mulheres da indústria do cinema pelas acusações de violência doméstica contra o ator americano por parte de sua ex-esposa Amber Heard.
Penélope Cruz
Nesta sexta-feira, o público de Donastia se reencontrou com uma de suas atrizes mais queridas, Penélope Cruz, que apresentou “Competição Oficial”, uma comédia dos argentinos Mariano Cohn e Gastón Duprat.
“A comédia é um gênero que sempre me fascinou, embora eu tenha feito mais drama do que comédia”, afirmou a atriz, que há poucos dias ganhou o prêmio de melhor atriz no Festival de Cinema de Veneza pelo seu papel em “Mães Paralelas”, de Pedro Almodóvar.
A seção Horizontes, categoria estritamente latino-americana deste festival e considerada um trampolim desse continente para a Europa, foi inaugurada com a exibição de “Jesus López”, uma história do diretor argentino Maximiliano Schonfeld.
O filme concorre com outros nove longa-metragens de países como Brasil, Colômbia, Costa Rica, México e Uruguai. Pelo Brasil, a produção “Madalena” do diretor mato-grossense Madiano Marcheti conta o mistério da morte de uma mulher trans.
Penélope Cruz chega ao Festival de Cinema San Sebastian
REUTERS/Vincent West