Saiba como declarar o saque do FGTS no Imposto de Renda


Recurso é isento de pagar imposto, mas o valor resgatado deve ser informado pelo contribuinte para justificar a variação do patrimônio.
Arte G1
O trabalhador que sacou os recursos de sua conta do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) deve informar os valores na declaração de Imposto de Renda 2019.
SAIBA TUDO SOBRE O IR 2019
Clique aqui para fazer o download do programa
O FGTS é visto como uma indenização, sendo isento de pagamento do Imposto de Renda. No entanto, o valor resgatado deve ser declarado para justificar a variação patrimonial na declaração.
Isso se aplica a qualquer um dos motivos que permitem a retirada dos recursos, entre eles a demissão sem justa causa, a compra de um imóvel, aposentadoria ou doença.
Para os casos de imóveis adquiridos com o uso de recursos do FGTS, o contribuinte deverá informar no campo “Discriminação” da ficha de Bens e Direitos que na aquisição ou quitação do imóvel foi usado o dinheiro do benefício, especificando o valor.
Onde informar o FGTS sacado
O valor sacado deve ser preenchido no campo “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”, linha 4 (indenizações por rescisão de contrato de trabalho, inclusive a título de PDV, e por acidente de trabalho; e FGTS).
A expectativa é de que 30,5 milhões de contribuintes entreguem a declaração à Receita este ano. O prazo de entrega do documento vai até dia 30 de abril.
O contribuinte que não fizer a declaração ou entregá-la fora do prazo fica sujeito ao pagamento de multa de, no mínimo, R$ 165,74. O valor máximo é correspondente a 20% do imposto devido.
Na seção, também será necessário incluir o nome da Caixa Econômica Federal como a fonte pagadora, informando o CNPJ da instituição, correspondente ao número 00.360.305/0001-04.
Quando declarar
Se o contribuinte se enquadra em alguma das situações abaixo que obrigam a fazer a declaração, ele deve informar o FGTS sacado:
Recebeu mais de R$ 28.559,70 de renda tributável no ano (salário, por exemplo)
Ganhou mais de R$ 40 mil isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte;
Comprou ou vendeu ações em bolsa de valores;
Recebeu mais de R$ 142.798,50 em atividade rural (agricultura, por exemplo) ou tem prejuízo rural a ser compensado no ano calendário de 2018 ou nos próximos anos;
Teve a posse ou propriedade, em 31/12/18, de bens e direitos superior a R$ 300 mil;
Passou a morar no Brasil em qualquer mês, mantendo-se nessa condição até 31 de dezembro de 2018;
Obteve ganho de capital na venda de bens móveis e imóveis, mesmo que tenha adquirido outro imóvel num prazo de 180 dias usando isenção de IR do ganho da venda na compra de outro imóvel.
Para saber o valor
Caso o contribuinte tenha esquecido o valor exato sacado da conta do FGTS, ele pode acessar a informação pela internet, no site da Caixa Econômica Federal, com o número do PIS/Pasep e senha.
Caso não tenha a senha, é possível cadastrá-la, desde que esteja com o Cartão do Cidadão, CPF, RG e título de eleitor. Em caso de precisar dos comprovantes, ele deverá se dirigir à agência.