Romero Ferro recicla a canção popular romântica no single autoral ‘E se não era amor’


Capa do single ‘E se não era amor’, de Romero Ferro
Divulgação
Resenha de single
Título: E se não era amor
Artista: Romero Ferro
Compositor: Romero Ferro
Gravadora: Milk Music
Cotação: * * * 1/2
♪ A canção popular romântica existe e resiste no Brasil desde que o samba é samba-canção melodramático.
Ao longo das décadas, esse gênero de canção sentimental vem sofrendo mutações, invadindo universos musicais e ganhando rótulos como brega, cafona e sofrência – entre outros adjetivos e termos que geralmente expõem preconceito das elites culturais com a trilha sonora do povo – sem deixar de permanecer na preferência do público.
Inédito single autoral que o cantor e compositor pernambucano Romero Ferro lança na sexta-feira, 9 de outubro, E se não era amor recicla esse gênero de canção romântica com certo requinte.
Ferro apresenta balada convencional que poda o sentimentalismo com a contemporânea pegada sonora da produção musical de U.GOT, codinome artístico de Guto Guerra, produtor musical e instrumentista residente no Rio de Janeiro (RJ), cidade para onde Romero Ferro migrou para investir na carreira como artista do selo Milk Music.
Com refrão eficiente, a canção E se não era amor foi enquadrada em moldura atual na gravação feita de forma remota pelo artista com U.GOT durante o período de isolamento social.
Contudo, o formato da canção é essencialmente o mesmo das baladas de hitmakers embaladas em arranjos tecnopop na década de 1980 para cantores de MPB dispostos a recuperar a popularidade perdida com a ascensão das bandas de rock. Ou das canções ambientadas em tom pop caipira nos anos 1990 para ampliar a conexão de duplas sertanejas com o público do Brasil urbano.
O próprio Romero Ferro se nutriu de referências do gênero conhecido como brega pernambucano na criação e gravação do repertório do segundo álbum, Ferro (2019), sucessor de Arsênico (2016).
O single E se não era amor versa sobre relacionamento já em decomposição com a proposta de término sadio, sem brigas e culpas. Em clima de DR final, a letra de Romero Ferro é simples e de fácil entendimento, como convém a uma canção popular, mas escapa da pobreza padronizada e por vezes até vulgar observada em grande parte no atual repertório romântico do mainstream pop funk sertanejo.
A dupla de compositores Michael Sullivan & Paulo Massadas talvez fizesse, em 2020, uma canção como essa música inédita do artista nascido em Garanhuns (PE). E isso diz muito sobre os vícios e virtudes do single E se não era amor.