‘Roda de fogo’ chega ao Globoplay com história sobre corrupção e redenção


Trama com Tarcísio Meira, Bruna Lombardi, Cecil Thiré, Renata Sorrah, Mário Lago e Eva Wilma entra no streaming nesta segunda (26). Relembre história e veja curiosidades e fotos. Tarcísio Meira e Bruna Lombardi em ‘Roda de Fogo’, 1986
Divulgação / Acervo Globo
“Roda de Fogo” mostrou a queda e a redenção de um homem inescrupuloso que se vê diante da morte. Com Tarcísio Meira, Bruna Lombardi, Cecil Thiré, Renata Sorrah, Mário Lago e Eva Wilma, a trama foi ao ar entre 1986 e 1987.
Nesta segunda (26), a novela escrita por Lauro César Muniz chega ao Globoplay. Para ajudar a relembrar a história, o G1 publica curiosidades, com dados do Memória Globo.
Renato Villar (Tarcísio Meira) é um empresário capaz de qualquer coisa por poder. Ele mantém um casamento de aparências com Carolina (Renata Sorrah), e sua empresa aplica ilegalmente dinheiro no exterior com a conivência de Benson (Carlos Kroeber).
Ele é denunciado por Celso Resende (Paulo José). Para sair da enrascada, Renato conta com a ajuda de seu advogado Mário Liberato (Cecil Thiré), um profissional corrupto. Quando a juíza Lúcia Brandão (Bruna Lombardi) assume o caso do empresário, ela e Villar acabam se apaixonando, e ela um conflito: como julgar o homem que ama?
Novela explorou temas de justiça e corrupção e apresentou uma história de redenção do personagem. O vilão arrependido Renato Villar conquistou a simpatia do telespectador, que o perdoou e passou a torcer por seu sucesso. Muita gente até escrevia para a Globo pedindo que ele continuasse vivo.
Webdoc novela – Roda de Fogo (1986)
Veja curiosidades e bastidores de ‘Roda de fogo’:
A trama surgiu a partir de uma sinopse de um grupo de autores da Casa de Criação Janete Clair – Dias Gomes, Ferreira Gullar, Euclydes Marinho, Luiz Gleiser, Joaquim Assis, Marília Garcia e Antônio Mercado.
Segundo o autor Lauro César Muniz, toda a trama da novela foi desenvolvida a partir de uma ideia simples: a história de um empresário que descobria ter os dias contados e, a partir daí, fazia uma revisão de sua vida. O que seria um exercício de criação se transformou na novela quando o diretor Daniel Filho precisou ter uma trama para o horário das 20h.
O ator Paulo Goulart (juiz Labanca – o antagonista do vilão Renato Villar) lembra que seu personagem começou a ser um pouco mal visto pelo público. Os telespectadores não queriam que ele atrapalhasse o romance de Renato e Lúcia.
Hugo Carvana, que viveu o personagem Paulo Costa, conta que teve um alvoroço causado em uma churrascaria do Rio no dia em que ele, Cecil Thiré e Carlos Kroeber – todos intérpretes de personagens corruptos na trama – se encontraram para jantar.
“Roda de Fogo” marcou a volta de Osmar Prado à Globo após um período afastado da emissora.
A novela foi vendida para cerca de 40 países, entres eles Alemanha, Canadá, França, Itália, Marrocos, Romênia, Rússia, Cingapura e Suíça.
A Censura Federal cortou algumas cenas e diálogos.
Veja fotos
Joana Fomm, Claudia Magno e Cássio Gabus Mendes em ‘Roda de Fogo’, 1986
Nelson Di Rago/Globo
Paulo José e Cássio Gabus Mendes em ‘Roda de Fogo’, 1986
Acervo Globo
Tarcísio Meira, Eva Wilma e Felipe Camargo em ‘Roda de Fogo’, 1986
Acervo Globo
Cássio Gabus Mendes, Claudia Magno e Lúcia Veríssimo em ‘Roda de Fogo’, 1986
Nelson Di Rago/Globo
Claudia Alencar, Carla Daniel, Inês Galvão e Osmar Prado em ‘Roda de Fogo’, 1986.
Nelson Di Rago/Globo
Tarcísio Meira e Renata Sorrah em ‘Roda de Fog’o, 1986
Divulgação / Acervo Globo
Tarcísio Meira e Cecil Thiré em ‘Roda de fogo’
Acervo/TV Globo