Roberta Sá vai de Zélia Duncan a Ivone Lara na inédita sessão de estúdio ‘Pra nunca se acabar’


Registro audiovisual é aperitivo do show que junta a cantora com a flautista Aline Gonçalves e a violonista Samara Líbano. ♪ Samba que batizou o álbum de sambas lançado por Zélia Duncan há cinco anos, Antes do mundo acabar (2015) – parceria da artista com Zeca Baleiro – ganha a voz de Roberta Sá. O samba de Zélia e Zeca abre Pra nunca se acabar, registro audiovisual lançado por Roberta Sá na noite de sexta-feira, 6 de novembro, no canal oficial da artista no YouTube.
Com direção de vídeo orquestrada por Murilo Alvesso, este registro Pra nunca se acabar resulta de inédita sessão de estúdio feita pela cantora com cenário e direção artística de Gigi Barreto e captada em 30 de agosto no estúdio Frigideira, na cidade do Rio de Janeiro (RJ).
A sessão apresenta gravações inéditas de cinco músicas, interpretadas por Roberta Sá com os toques das instrumentistas Aline Gonçalves (flauta e clarinete) e Samara Líbano (violão de sete cordas).
Roberta Sá na sessão de estúdio ‘Pra nunca se acabar’, disponível no canal oficial da artista no YouTube
Reprodução / vídeo
Além do samba Antes do mundo acabar, Roberta Sá dá a voz leve aos sambas A flor e o espinho (Nelson Cavaquinho, Guilherme de Brito e Alcides Caminha, 1957) , Janeiros (Pedro Luís e Roberta Sá, 2007), Samba de um minuto (A novidade) (Rodrigo Maranhão, 2003) e Nasci pra sonhar e cantar (Ivone Lara e Délcio Carvalho, 1982).
Com 21 minutos e 30 segundos, o registro audiovisual serve como saboroso aperitivo do inédito show também intitulado Pra nunca se acabar e programado para ser apresentado em 27 de novembro, em Belo Horizonte (MG), dentro da programação da Mostra de Teatro e Música do Cine Theatro Brasil Vallourec.
A apresentação de Roberta Sá poderá ser vista de forma presencial ou virtual, mediante compra de ingressos.