Restaurantes que tiveram nomes alterados no iFood por mensagens de apoio a Bolsonaro serão ressarcidos, diz empresa


Plataforma diz que prática é corriqueira quando há alguma falha no sistema. Empresa afirma que mudanças foram feitas por meio de conta de funcionário de prestadora, mas que dados de clientes e entregadores estão seguros. Entregador da Ifood
Divulgação
Os restaurantes que tiveram seus nomes alterados por mensagens de apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e contrárias à vacina no iFood serão ressarcidos, disse a empresa nesta quinta-feira (4).
O problema ocorreu na noite da última terça. Ao g1, a empresa disse que ainda está avaliando os impactos aos estabelecimentos parceiros.
“A empresa informa que os pedidos cancelados por conta do incidente serão devidamente ressarcidos”, disse o iFood. A plataforma disse que essa é uma prática normal quando acontece alguma questão envolvendo o sistema do aplicativo.
Compartilhe essa notícia no WhatsApp
Compartilhe essa notícia no Telegram
Mudanças foram feitas por conta de prestadora
Em nota, o iFood disse que as mudanças atingiram 6% dos estabelecimentos cadastrados na plataforma e foram feitas indevidamente por meio de conta de funcionário de prestadora de serviço.
Segundo a empresa, a conta do funcionário “tinha permissão para ajustar informações cadastrais dos restaurantes na plataforma, e que o fez de forma indevida.”
O iFood afirmou que não houve vazamento de dados de clientes ou entregadores.
LEIA TAMBÉM
Em janeiro, mulher relatou constrangimento ao receber comanda com comentário ofensivo sobre o corpo dela em Petrópolis
Em 2020, caixa de restaurante é demitido após comentário ofensivo sobre cliente: ‘O animal não sabe onde mora’
A empresa garantiu também que os meios de pagamento dos clientes estão seguros. “Eles não são armazenados nos bancos de dados do iFood, ficando gravados apenas nos dispositivos dos próprios usuários, não tendo havido comprometimento de dados de cartões de crédito”, acrescentou.
A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) disse ter recebido com preocupação a notícia de que 6% dos estabelecimentos tiveram os nomes alterados no iFood e pediu que os restaurantes sejam compensados pelo prejuízo.
“Além dos óbvios prejuízos financeiros (que, esperamos sejam compensados pelo aplicativo) e de imagem para os estabelecimentos, o que chama a atenção é a fragilidade demonstrada”, disse em nota a Abrasel.
A associação também pediu a revisão dos procedimentos de segurança no iFood e em outros apps de delivery para que dados de restaurantes e clientes sejam protegidos.
Restaurantes têm nomes alterados no iFood por mensagens de apoio a Bolsonaro e contra vacina; empresa afirma ainda que os nomes corretos ‘estão sendo restabelecidos’
Reprodução
SAIBA MAIS
Facebook vira Meta: novo nome da empresa rende memes
Como será o metaverso? É esperado até casas virtuais
Saiba com proteger o WhatsApp de golpes
Golpes no Whatsapp: saiba como se proteger
VÍDEOS: Veja mais notícias sobre São Paulo e região: