RBD além da live? Maite Perroni descarta turnê e explica show sem Poncho e Dulce


Ao G1, atriz e cantora diz que grupo vai sentir falta dos colegas e promete novas versões das músicas: ‘É um dia único’. Ela conta memória mais marcante do Brasil e revela planos de carreira. Maite Perroni fala sobre reunião do RBD
Maite Perroni ganhou fama mundial com o RBD e se tornou, em 2020, uma das maiores estrelas mexicanas, alternando novelas, filmes e séries.
Neste ano, depois de pausar sua carreira musical, ela abriu uma exceção para gravar a música “Siempre he estado aqui” com três dos cinco ex-companheiros de grupo. Juntos, preparam uma live para o dia 26 de dezembro.
Mas estes são os únicos projetos do RBD, ela diz em entrevista ao G1. Assista no vídeo acima.
“Como dissemos por muito tempo, não tínhamos planejado um reencontro como tal. Até hoje segue sendo assim, não vamos fazer um reencontro que tenha, mais pra frente, a intenção de ser uma turnê, ou fazer algo que realmente represente uma volta, profissionalmente falando.”
Segundo a mexicana, a ideia da live surgiu depois que as músicas do grupo voltaram às plataformas digitais, em setembro, e dominaram paradas em alguns países.
“É mais um reencontro de corações, da nostalgia que surge a partir da sorte que tivemos de ter nossa música nas plataformas. Ver todo este movimento tão cheio de amor e de gente que nos encheu de surpresas e resultados incríveis nos fez tomar a decisão de, sim, seguir adiante com a ideia de fazer um dia mágico e especial para todos.”
“Estamos muito emocionados, mas é um dia único, só este momento.”
Segundo a mexicana, os encontros e a gravação da primeira música do grupo em 12 anos aconteceram por meio de chamadas de vídeo e ligações.
Sem Dulce e Poncho
Christian Chavez, Maite Perroni, Christopher Uckermann e Anahí em reencontro do RBD
Divulgação/Universal Music
Dulce Maria e Alfonso Herrera não estarão juntos com Maite, Anahí, Christian Chávez e Christopher Uckermann no show do dia 26. Dulce está grávida. Já Alfonso não explicou a ausência. Nas redes sociais, fãs criticaram a decisão do ex-RBD.
Maite é, além de ex-colega de grupo, amiga do ator e defendeu sua decisão. “Acho que, muitas vezes, é difícil para quem está de fora ver que não há conflito, que não há necessidade de gerar esse tipo de situação porque acho muito válido que todos tomem decisões pessoais e profissionais.”
“Acho que o Poncho sempre foi muito coerente e vem construindo uma carreira de ator há 12 anos, na qual ele não se envolveu com música porque não se sente como um cantor”, explica.
“Nos respeitamos como indivíduos e todos têm o direito de fazer suas vidas como quiserem. E não por isso não é RBD e nem deixa de fazer parte desta bela história.”
Maite, Anahí, Christopher e Christian vã redistribuir as músicas entre eles. “O que vamos fazer é sentir muito a falta deles que são muito importantes para nós, mas no fim das contas, o RBD são os fãs. Foram eles que conseguiram que isso existisse e tivesse a força que tem. E que, 16 anos depois, siga sendo RBD”, conta.
Leia também: Entrevista com o criador do RBD
Foco nas séries
Maite Perroni e Alejandro Speitzer
Reprodução/Netflix
Neste ano, a atriz foi protagonista da série de mistério “Desejo sombrio”, na qual interpretou um papel bem diferente da inocente Lupita, da novela “Rebelde”, com muitas cenas de sexo. A produção mexicana da Netflix fez sucesso no mundo inteiro e foi renovada para a segunda temporada.
“Sempre que você começa a fazer um projeto, não tem ideia do que vai acontecer, é uma aposta constante. Foi uma grande surpresa ver que nos conectamos com tantas culturas. De repente estávamos em primeiro lugar no Catar, Vietnã, Filipinas, Israel, Índia. Não entendemos nada. É incrível que um projeto mexicano chegue a tantos lugares”, conta.
Depois de ter feito sete novelas nos últimos 12 anos, a atriz diz que quer continuar se dedicando às séries e a projetos “atrevidos”, diferentes do que estava acostumada. Além de “Desejo sombrio”, ela também está em “O jogo das chaves”, do Amazon Prime Video, e “Herdeiros por acidente”, da Claro Vídeos.
Mesmo com o sucesso internacional, ela não tem planos definidos de buscar produções de outros países. No ano passado, ela também decidiu fazer uma pausa em sua carreira musical.
Ela explica a decisão de pegar mais leve: “As pessoas acham que a vida de um artista é só fazer sessão de fotos, tapete vermelho, ir a eventos. Mas é uma profissão que vicia, implica muito sacrifício e muita entrega. Eu mal tinha tempo para dormir.”
O RBD
Divulgação
Amor pelo Brasil
Maite já perdeu as contas de quantas vezes veio a Brasil. A memória mais marcante que tem do país é de caos e amor.
“Ani e eu estávamos saindo de caminhonete do hotel. Estávamos sentadas e, de repente, abriram a caminhonete, abriram o porta-malas e as pessoas começaram a correr e entrar. Acabamos embaixo do banco do motorista, a equipe de segurança estava tentando tirar as garotas. O motorista conseguiu frear, mas era um caos, então eu pensei ‘não posso acreditar que isso está acontecendo’.”
“Estava entre riso nervoso e preocupação porque era muita adrenalina e energia. E o Brasil sempre nos deu isso: muita energia, muito amor, muita potência, sabe. Um país com um amor e uma força muito grandes. E isso se sente e se agradece porque logo sentimos falta. Você vai a outros lugares e sente falta daquela paixão com que vivem a vida.”
Agora, ela planeja voltar ao país para passar férias. “Sempre fui para trabalhar, sair correndo para o aeroporto, sair correndo para assinar autógrafos, e já ter um show e logo ter que voltar. Então, quando pudermos voltar a viajar como estávamos acostumados, adoraria ir ao Brasil desfrutar dessa terra que me deu tanto amor por tanto tempo.”
Semana Pop explica reencontro do RBD e o que ele significa para os fãs