Prouni 2021: pré-aprovados na lista de espera têm até dia 27 para confirmar dados


Os documentos devem ser apresentados nas instituições privadas de ensino a partir de 23 de agosto. Resultado da lista de espera do Prouni já está disponível
Reprodução
Começa na segunda-feira (23) o prazo para os alunos pré-selecionados na lista de espera do Programa Universidade Para Todos (Prouni) confirmarem seus dados nas instituições privadas de ensino. A lista de espera com os pré-aprovados está disponível no portal do Ministério da Educação (MEC).
A chamada atual é correspondente ao segundo semestre de 2021 e a data limite para confirmação de informações é 27 de agosto.
Os alunos precisam levar até as instituições onde foram aceitos documentos que comprovem os dados informados no ato de inscrição do programa. Informações como a renda familiar per capita são fundamentais para confirmar se o candidato está elegível ou não para bolsas que cobrem de 50% ou 100% da mensalidade.
Os documentos necessários são informados pela instituição após a pré-seleção do candidato.
LEIA TAMBÉM
REVALIDA 2021: veja o cronograma e os horários das provas
SISU: universidades começam a convocar aprovados em lista de espera
VEJA REGRAS: Unicamp abre inscrições para vagas remanescentes
O que é o Prouni?
O Prouni é uma porta de entrada para universidades privadas. Ele oferece bolsas de estudo parciais (50%) e integrais (100%) em cursos de graduação e de formação continuada em universidades particulares.
Quem pode concorrer?
Para disputar uma das bolsas de estudo, o candidato é avaliado conforme a nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 e a análise da renda familiar.
É necessário se encaixar em uma das seguintes categorias:
ter cursado o ensino médio completo na rede pública;
ter sido bolsista integral em escolas particulares durante todo o ensino médio;
ter alguma deficiência;
ser professor da rede pública de ensino, na educação básica.
Com exceção dos docentes, os demais candidatos não podem ter diploma do ensino superior.
Há também critérios de renda: São duas modalidades:
bolsa integral: renda familiar mensal per capita de até 1,5 salário mínimo;
bolsa parcial (50% da mensalidade): renda familiar mensal per capita de 1,5 a 3 salários mínimos.