Presidente do BNDES quer expansão do setor de gás e diz que pode ser alternativa ao diesel para caminhões


Expansão do setor de gás natural será uma das prioridades do banco, segundo Joaquim Levy. Sede do BNDES, em imagem de arquivo
Reprodução/JN
O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, afirmou nesta segunda-feira (15) que a expansão do setor de gás natural será uma das prioridades do banco e sugeriu a substituição do diesel pelo combustível em caminhões.
Em palestra a empresários em São Paulo, Levy declarou que é preciso distribuir o gás natural de forma mais barata e com maior capilaridade para criar demanda pelo combustível e, assim, incentivar a produção no pré-sal.
“O gás [natural] também pode ser usado como alternativa de combustível para caminhões”, afirmou o presidente do BNDES. “Isso reduz as flutuações com a questão do diesel”.
Levy citou a China como exemplo de país que comercializa caminhões movidos a gás. Mas acrescentou que, para financiar a expansão do setor, é preciso definir um rumo e fazer investimentos.
Reforma da Previdência
O presidente do BNDES disse também acreditar que quanto antes for aprovada a reforma da Previdência, mais cedo acontecerá a retomada da economia. Mas ponderou que o processo até a aprovação exige um aprendizado.
“Como todo aprendizado, corrige a rota e chega lá. Eu tenho confiança disso e de que o PIB vai voltar a crescer”, disse Levy.
Leilões de ativos
O presidente do BNDES afirmou, ainda, que existe um grande interesse por ativos de infraestrutura brasileiros tanto de investidores nacionais quanto estrangeiros.
Ele mencionou os recentes leilões de ativos do governo, como a ferrovia Norte-Sul e os aeroportos como exemplos, mas acrescentou que é preciso introduzir novos ativos nas negociações.
“Precisamos agora de novos ativos, e há um trabalho de coordenação bastante importante. Esperamos na próxima semana ter uma nova rodada de projetos do PPI”, disse.