Presidente alemão culpa mudanças climáticas por chuvas que causam devastação no país


Mais de 100 pessoas morreram e 1,3 mil estão desaparecidas no oeste da Alemanha, onde uma imensa quantidade de água tem causado inundações gigantescas e devastado cidades e vilas. O presidente alemão, Frank Walter Steinmeier, durante cerimônia no Palácio de Bellevue, em Berlim, em 26 de março de 2021
Markus Schreiber/AP
O presidente alemão, Frank-Walter Steinmeier, culpou nesta sexta-feira (16) as mudanças climáticas pelas fortes chuvas que atingem o oeste do país e já deixaram mais de 100 mortos e 1,3 mil desaparecidos.
Em um pronunciamento, Steinmeier pediu um firme comprometimento com a luta contra as mudanças climáticas e afirmou que esta é a única alternativa para frear fenômenos meteorológicos extremos, como as chuvas intensas que castigam o país.
“Apenas se nos comprometermos de forma resoluta com a luta contra as mudanças climáticas poderemos controlar condições meteorológicas extremas como as que vivemos atualmente”, afirmou o presidente, que disse estar “profundamente arrasado” pela “tragédia”.
VEJA TAMBÉM:
Passa de 100 o nº de mortos após chuvas na Europa; Alemanha é o país mais afetado
‘Muitos afogados no porão da própria casa’, relata brasileira que mora na Alemanha
ENTENDA: Por que calor recorde no hemisfério norte indica que algo pior está por vir
VÍDEO: Onda de calor cozinha moluscos vivos em praia do Canadá
Enchentes na Europa provocam mortes e deixam mais de mil desaparecidos
Na Alemanha, o cargo de presidente tem um caráter figurativo, sem poder político, e o governo é comandado pela chanceler Angela Merkel atualmente.
Merkel está em visita oficial aos Estados Unidos, em sua última viagem ao país antes de deixar o cargo, em setembro, após mais de 15 anos no poder.
Sobre as chuvas, a chanceler afirmou na quinta-feira (15) que “é um dia que se caracteriza pelo medo, pelo desespero e pelo sofrimento”, pois “pequenos rios se transformaram em torrentes inundadas e devastadoras”.
As chuvas têm causado transtornos também na Bélgica, na Holanda, na França, na Suíça e em Luxemburgo, embora em menor intensidade. Há 14 mortos e 4 desaparecidos na Bélgica.
“Eu ofereço minha empatia e meu coração está com as pessoas que perderam entes queridos. Incluo aqueles na Bélgica, em Luxemburgo e na Holanda”, afirmou a chanceler, dizendo que a extensão total da tragédia só será conhecida nos próximos dias.
Chuvas causam inundações no distrito de Blessem de Erftstadt, na Alemanha. Foto fornecida pelo governo do distrito de Colônia em 16 de julho de 2021.
Rhein-Erft-Kreis via AP
VÍDEOS: as últimas notícias internacionais