Preços do petróleo têm mínimas de 2 meses com queda menor que a esperada em estoques dos EUA


No mês, o Brent está a caminho de perder cerca de 8%, enquanto o WTI deverá registrar retração de cerca de 11%. Funcionário trabalha em campo de petróleo
Sergei Karpukhin/Reuters
Os preços do petróleo caíram quase 4% nesta quinta-feira (30), para seus menores níveis em mais de dois meses, por conta de uma redução menor que a esperada nos estoques de petróleo dos Estados Unidos e temores de uma desaceleração econômica mundial devido à guerra comercial entre EUA e China.
A Administração de Informação sobre Energia (AIE) informou que os estoques do produto nos EUA recuaram em quase 300 mil barris na última semana, número menor que a queda de 900 mil barris prevista por analistas em pesquisa da Reuters e muito abaixo da retração de 5,3 milhões de barris reportada pelo Instituto Norte-Americano de Petróleo no final da quarta-feira.
A diminuição da semana passada retira os estoques de petróleo dos EUA de seu maior nível desde julho de 2017, registrado na semana anterior, mas, com 476,5 milhões de barris, eles seguem cerca de 5% acima da média de cinco anos para este período.
“O relatório de estoques somou-se ao sentimento baixista que prevalecia na sessão de hoje”, disse Abhishek Kumar, analista-chefe da Interfax Energy, acrescentando que “as preocupações sobre demanda que vêm da guerra comercial entre EUA e China devem permanecer como principal condutor pesando sobre os preços do petróleo.”
Os contratos futuros do petróleo Brent recuaram US$ 2,58, ou 3,7%, e fecharam a US$ 66,87 por barril, enquanto o petróleo nos EUA cedeu US$ 2,22, ou 3,8%, para fechar a US$ 56,59/barril. Esse foi o menor fechamento para o Brent desde 12 de março, e o menor para o WTI desde 8 de março.
No mês, o Brent está a caminho de perder cerca de 8%, enquanto o WTI deverá registrar retração de cerca de 11%, o que representaria o primeiro declínio mensal para ambos os contratos em cinco meses.