Por que ricos e famosos têm menos chance de ganhar o BBB?


Histórico mostra que só uma vez participante famoso levou prêmio final: Dourado, no entanto, é caso isolado. Dissertação de mestrado mostra que público premia ‘excluídos e injustiçados’. Acadêmicos do BBB: por que ricos e famosos não vencem o reality?
O BBB 21 é a segunda edição com os participantes divididos entre os grupos camarote e pipoca. Mas o programa já teve outras edições com influenciadores e até com ex-BBBs. Será que ricos e famosos têm menos chances de ganhar o BBB?
Olhando o histórico, fica claro que existem chances, mas elas são poucas. Só uma vez um participante considerado famoso ganhou o BBB.
Dourado, o único
O lutador Marcelo Dourado levou o prêmio em 2010, com uma trajetória polêmica e carismática. O concorrente do BBB4 era um dos sete ex-BBBs que estavam naquela edição.
Uma dissertação de mestrado de 2005 chamada “Big Brother Brasil: fabricação do cotidiano” analisa, entre outros temas, essa questão.
Renato Menezes, pesquisador do interior de São Paulo, mostrou que o público é solidário com os “excluídos e injustiçados”. Para ele, os fãs não têm vontade de ver um participante rico ganhando o prêmio.
Duas sorteadas, duas premiadas
O trabalho acadêmico lembra das duas vezes em que o BBB teve participantes escolhidos por meio de sorteios. Nesses edições, foram sorteadas que ganharam o prêmio final:
Cida Santos, babá carioca, foi a campeã do BBB 4 por ser uma pessoa simples e simpática com todos no programa;
Mara Viana, auxiliar de enfermagem baiana, ganhou em 2006 e era uma espécie de “mãezona” na casa.
A partir daí, o BBB parou de ter gente selecionada por sorteio. Menezes explica que “não temos simpatia em ver um participante rico ganhando”.
E as edições recentes?
Rafa, Thelma e Manu aguardam anúncio da vencedora do ‘BBB20’
Reprodução/Globo
Favoritas em 2020, as famosas Manu Gavassi e Rafa Kalimann chegaram ao top 3, mas acabaram perdendo para a médica Thelma Assis.
No BBB21, Sarah e Fiuk mostraram que estão entre os favoritos do público, após receberem menos de 1% dos votos no paredão que eliminou Nego Di.
Mas, desta vez, anônimos (Juliette, Caio, Gil e a própria Sarah) estão com ainda mais moral do que os membros da Pipoca de 2020.
Não foi só no BBB
Mas não é apenas no Big Brother que quem tem menos dinheiro geralmente vence. Na primeira “Casa dos Artistas”, a final foi entre Supla e Bárbara Paz.
O Supla era favorito, no auge da fase charada brasileiro. Quem levou, porém, foi Bárbara, que dizia ter vários problemas financeiros na época.