Pintura de Basquiat é leiloada em Hong Kong por US$ 41,8 milhões


‘Warrior’ é inspirado em desigualdades sociais e falta de representação denegros no mundo da arte. Preço recorde para obra ocidental na Ásia mostra como valor de Basquiat tem disparado. ‘Warrior’, pintura de Basquiat
Reprodução
O quadro “Warrior” de Jean-Michel Basquiat foi arrematado nesta terça-feira (23) por 41,8 milhões de dólares (R$ 229 milhões), o preço mais alto para uma obra do Ocidente na Ásia, em leilão organizado pela Christie’s em Hong Kong.
O preço final da obra, concebida em 1982, foi ligeiramente superior às estimativas, que estavam entre US$ 31 milhões e US$ 41 milhões.
Pintada em acrílico e spray sobre um painel de madeira, a pintura é considerada por especialistas como a obra emblemática do pintor americano.
Foi vendida depois de “um intenso cabo de guerra no leilão, com duração de dez minutos, entre Hong Kong e Nova York”, disse a Christie’s em um comunicado.
A pintura é interpretada como uma obra semi-autobiográfica de Basquiat, que enfatizou nela as desigualdades sociais e a falta de representação dos negros no mundo da arte.
O quadro havia sido vendido em 2012 para um colecionador americano na Sotheby’s de Londres por US$ 8,7 milhões, mas seu preço disparou com a crescente demanda por obras de mestres ocidentais na Ásia.
“Warrior de Jean-Michel Basquiat é um retrato imponente e autoritário, que demonstra amplamente porque este artista é considerado um dos pintores mais importantes” do último meio século, segundo a casa de leilões.
Exposição ‘Jean-Michel Basquiat – obras da coleção Mugrabi’ no CCBB São Paulo em 2018
Fábio Tito/G1
A popularidade de Basquiat explodiu nos últimos anos, alimentando preços exorbitantes de suas obras em leilões.
Um de seus desenhos, “Untitled”, foi vendido no ano passado por US$ 15,2 milhões na Sotheby’s de Nova York.
As novidades da cultura no Semana Pop: