‘Perfect Crime’, peça mais antiga de Nova York, reestreia meses antes da reabertura Broadway


Espetáculo voltou a ser exibida no Theater Center, que ganhou luz verde para reabertura em troca da condição de vacinar toda a equipe, que também deve ser testada para Covid todas as noites antes do espetáculo. A atriz Catherine Russell, estrela da peça “Perfect Crime”, posa para fotos no The Anne Bernstein Theater
Angela Weiss / AFP
Em cartaz desde 1987, “Perfect Crime” voltou aos palcos, embora a Broadway tenha planos de reabrir apenas em setembro. Tudo graças à energia de Catherine Russell, que interpretou mais de 13.500 vezes o mesmo papel e carrega o teatro nos ombros.
“Sou muito determinada, e quando as pessoas me dizem ‘Você não pode fazer isso’, eu respondo ‘Veja como faço isso'”, disse Russell à AFP.
Atriz principal de “Perfect Crime”, mas também gerente do Theatre Center, onde a peça é apresentada, Russell, de 65 anos, é “um dínamo”, como descreve Charles Geyer, que divide o palco com ela.
Quando a peça foi suspensa devido à pandemia, em março de 2020, a atriz pintou o teatro, consertou assentos e comprou um novo sistema de ventilação “compatível com a Covid”.
O governador de Nova York autorizou no início de março a reabertura para 25% da capacidade e depois para 33%, mas Russell continua com uma ação judicial para obter pelo menos 50%.
No dia 9 de abril o Theatre Center reabriu, com as primeiras apresentações do musical inspirado na série “The Office” e depois a retomada de “Perfect Crime”, peça em que Russell se apresentou no dia 17 de abril pela 13.524ª vez, um recorde mundial.
“Muitas pessoas não se sentiam prontas para voltar, tanto na Broadway quanto na off-Broadway”, o circuito de teatros menores, disse Russell. “Mas achei que estávamos prontos (…) não me acho uma visionária. Talvez eu só tenha um pouco menos de medo que os outros, mas também tenho menos a perder”.
“Perdemos dinheiro”, reconheceu, e mesmo 50% da capacidade não seria suficiente para equilibrar as contas. Foi isso que impediu a Broadway de uma reabertura parcial. “Mas estamos determinados e quero fazer isso por princípio”, afirmou.
“Além de uma simples peça”
O Theater Center ganhou luz verde para a reabertura do principal sindicato do espetáculo, Actors’ Equity, em troca da condição de vacinar toda a equipe, que também deve ser testada para Covid todas as noites antes do espetáculo.
A capacidade de 33% permite 66 pessoas na plateia, contra 200 em tempos normais, disse o produtor Armand Hyatt.
Para “Perfect Crime”, um mistério policial clássico com um tom psicológico, o período atual é a ocasião para um pouco de publicidade gratuita, já que a peça é geralmente ofuscada pela oferta gigante da Broadway.
Fã de teatro, Jessica Bloom já havia passado dezenas de vezes pelas portas do Theatre Center, bem próximo à Times Square, mas nunca havia parado para comprar ingressos.
“Quero ver a primeira coisa que me permite entrar em um teatro, mesmo que não saiba do que se trata”, disse.
O ator Charles Geyer relembrou uma “fantástica” primeira performance pós-pandemia. “Temos a sensação de formar um grupo” entre os atores e os espectadores. “Vai além de uma simples peça”, afirmou.
VÍDEOS: Saiba tudo sobre entretenimento com o Semana Pop