Pedro Sá lança disco solo inspirado pelo ‘álbum branco’ de João Gilberto


Em ‘Um’, artista põe música em poema italiano e apresenta parcerias com Domenico Lancellotti, Moreno Veloso e Kassin. ♪ Embora não faça parte da trilogia fundamental da discografia de João Gilberto (1931 – 2019), tripé sustentado pelo álbuns que implantaram a Bossa Nova entre 1959 e 1961 após a revolução de 1958, o LP lançado pelo cantor e violonista baiano em 1973 – intitulado João Gilberto, mas conhecido como o álbum branco do artista por conta da capa minimalista – sempre foi objeto de culto fervoroso entre seguidores do artista.
Compositor e guitarrista carioca que migrou para Portugal, Pedro Sá é um dos que cultuam o disco de 1973. A ponto de ter gravado o primeiro álbum solo, Um, com inspiração no disco calcado na voz e no violão de João.
Disponível desde quinta-feira, 4 de novembro, Um é disco de guitarra e voz, gravado com produção musical orquestrada pelo artista com Léo Shogun Moreira e nascido da experiência de Pedro tocar e cantar sozinho – atividade iniciada em 2016. A canção Dia foi o ponto de partida para a construção do repertório autoral.
A voz do disco Um naturalmente é a de Pedro Sá, músico que entrou em cena na década de 1990, como integrante da banda Mulheres Q Dizem Sim, e que contribuiu decisivamente para firmar a estética musical indie carioca do século XXI.
Projetado nacionalmente como integrante da banda Cê, formada com Caetano Veloso em 2006, Pedro apresenta disco realmente solo no processo de gravação, mas com repertório composto em boa companhia.
Capa do álbum ‘Um’, de Pedro Sá
Pedro Sá
Entre as 12 músicas do repertório inteiramente autoral, há parcerias como os músicos e amigos do trio + 2, formado por Alexandre Kassin, Domenico Lancellotti e Moreno Veloso. Kassin é o parceiro de Rota de fuga. Domenico é coautor de Pare de correr. Já Moreno Veloso tem o nome nos créditos de Madrugada acordada.
Já Joá é fruto da vivência lusitana de Pedro Sá, sendo parceria com Tomás Cunha Ferreira, enquanto Um conselho é a versão musicada (por Pedro) de Un Consiglio, poema do italiano italiano Alfonso Gatto (1909 – 1976), traduzido para o português pelo também poeta italiano Giorgio Sica.
Entre ecos do samba-canção (gênero que reverbera na canção Maior, composta somente por Pedro e apresentada como single em setembro), da bossa nova e do samba, Pedro Sá explora polirritmias em Colapso e investe no lirismo em Mormaço, outras duas composições assinadas somente pelo artista.
Com capa que expõe foto tirada pelo próprio Pedro Sá, o álbum Um está no mundo em edição do selo Balaclava Records.