Patrícia Ahmaral canta Torquato Neto em disco duplo previsto para 2022, 50 anos após a morte do poeta da Tropicália


Artista mineira também prepara álbum autoral, ‘O sonho que o doido fala’, apresentado com o single ‘Tirania’. ♪ Em 1998, um ano antes de debutar no mercado fonográfico com o álbum Ah! (1999), a cantora mineira Patrícia Ahmaral apresentou show com a obra musical do poeta piauiense Torquato Neto (9 de novembro de 1944 – 10 de novembro de 1972) na 1ª Bienal Internacional de Poesia, realizada em Belo Horizonte (MG).
Remontado pela artista vinte anos depois, em novembro de 2018, o show Patrícia Ahmaral canta Torquato Neto é o norte da cantora na preparação de álbum duplo com as músicas do poeta da Tropicália.
Patrícia – que incluiu Mamãe coragem (Caetano Veloso e Torquato Neto, 1998) no repertório do terceiro álbum, Superpoder (2011) – planeja lançar o tributo ao poeta em 2022, 50 anos após a morte de Torquato, provocada por suicídio e ocorrida na cidade do Rio de Janeiro (RJ).
Além de músicas como Minha senhora (Gilberto Gil e Torquato Neto, 1967), Pra dizer adeus (Edu Lobo e Torquato Neto, 1967) e Vento de maio (Gilberto Gil e Torquato Neto, 1967), o repertório do álbum duplo em que Patrícia Ahmaral canta Torquato Neto inclui parceira póstuma do compositor com Zeca Baleiro.
Baleiro, cabe lembrar, foi o produtor musical do primeiro álbum da cantora, Ah!, revisitado no recente disco Ah! Vivo! (2021), lançado em julho com registro de show apresentado e captado em Belo Horizonte (MG) em 2019.
Capa do single ‘Tirania’, de Patrícia Ahmaral
Divulgação
♪ Além do disco duplo com a obra de musical de Torquato Neto, Patrícia Ahmaral prepara outro álbum para 2022. Intitulado O sonho que o doido fala, esse álbum tem repertório autoral e já gera o primeiro single, Tirania, na quinta-feira, 30 de setembro.
Com melodia e letra da artista, Tirania é música inédita gravada em estúdio com produção musical de Fernando Nunes, instrumentista que toca violão, baixo e programação no single.