Parlamentares pedem à Embaixada dos EUA que explique como Weintraub entrou no país

Ex-ministro da Educação foi exonerado do cargo somente depois de ter informado que estava na Flórida. Abraham Weintraub é alvo de inquéritos no STF. Parlamentares de seis partidos informaram nesta terça-feira (23) ter enviado à Embaixada dos Estados Unidos no Brasil que explique como o ex-ministro da Educação Abraham Weintraub entrou no país no último sábado (20).
Abraham Weintraub anunciou a demissão do ministério na quinta-feira (18), mas a exoneração dele só foi publicada no sábado (20) no “Diário Oficial”, depois de Weintraub ter informado em uma rede social que estava na Flórida (EUA).
O episódio provocou polêmica. Weintraub é alvo de inquéritos no Supremo Tribunal Federal, e o Ministério Público pediu ao Tribunal de Contas da União (TCU) que apure o caso, uma vez que, segundo o MP, dinheiro público pode ter sido usado na viagem de Weintraub.
Mais cedo, nesta terça, o “Diário Oficial” publicou um novo decreto, informando que a exoneração de Weintraub se deu a partir de sexta (19).
“Ficamos preocupados que Abraham Weintraub tenha sido admitido nos Estados Unidos sob falsas pretensões para se esquivar do inquérito sobre suas ações e que agora ele resida nos EUA fora do status regular”, argumentaram os parlamentares na carta enviada à embaixada.
“Pedimos que a Embaixada Americana e o Departamento de Estado dos Estados Unidos clarifiquem as condições em que foi cedida a entrada de Weintraub aos EUA e em qual status ele permanece no país, tendo em vista que Weintraub não mais representa o governo brasileiro, nem qualquer órgão internacional”, acrescentaram.
A carta é assinada por parlamentares de PT, PDT, PSB, Rede, PSOL e PCdoB.
Mais cedo, nesta terça-feira, o próprio presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), chegou a questionar se Weintraub estava “fugindo de alguém”. “Estranho, né?”, acrescentou.
Camarotti: ‘Planalto e Itamaraty têm que esclarecer como Weintraub entrou nos EUA’
Quarentena
Brasileiros estão obrigados a fazer quarentena para entrar nos Estados Unidos por causa da pandemia do novo coronavírus. Mas o decreto americano que definiu essas regras tem exceções, uma das quais diz respeito a vistos que autorizam a entrada diretamente.
Ministros têm direito a esse visto especial. Como ao desembarcar em Miami Weintraub ainda não havia sido exonerado, ele pode ter se valido desse visto para entrar.
Valdo Cruz: ‘Saída de Weintraub pareceu mais uma fuga’
Constrangimento no Planalto
Segundo o colunista do G1 e da GloboNews Valdo Cruz, a avaliação no Palácio do Planalto é que a forma como Weintraub deixou o país, dando a aparência de uma “fuga”, criou constrangimentos.
Conforme o blog, um auxiliar direto do presidente Jair Bolsonaro disse que a saída “sorrateira” do ex-ministro da Educação expôs Bolsonaro a questionamentos.